Ivo Steffen

 

1.DADOS PESSOAIS

Nome Ivo Steffen

Lugar e data de nascimento Chapada, RS,         03.10.1943.

Nacionalidade             Brasileira

Estado civil             Casado com Maria José Batista Steffen

Carteira de Identidade            253964 SSPDF

CPF            098012867/68

Título de eleitor                                       6548220/54, Zona 001, Seção 0205, Brasília-DF.

Carteira Profissional           32707, Série 228.

Endereço            SHIS QL 16 Conj. 3 casa 4

          71640-235 – Lago Sul   Brasília   -DF

Telefones 61 84549896, 61 32483164

E-mail ivosteffen@hotmail.com

 

2.FORMAÇÃO

2.1Diplomas

•Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras e Artes, Nossa Senhora Imaculada Conceição, Viamão, Brasil.

•Pedagogia – Administração Escolar pela Faculdade de Educação do Centro de Ensino Unificado de Brasília.

•Mestrado em Educação pela Fundação Escola Sociologia e Política de São Paulo. Tese: A Aprendizagem de Adolescentes em Formação Profissional (Livro publicado pelo SENAI-DN).

 

2.2Outros cursos

•Meios de Comunicação Social na PUCRS – 2 anos.

•Jornalismo pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Viamão, 1 ano.

•Teologia no Seminário de Viamão - 2 anos.

•Problemas sociais, econômicos e políticos; Universidade de Harvard, Boston; Estados Unidos, 40 dias.

•Pré-doutorado pela Fundação Escola de Sociologia Política de São Paulo.

 

3.TÍTULOS UNIVERSITÁRIOS

Professor titular de Metodologia Científica e Psicologia da Educação nos seguintes Institutos de Ensino Superior:

Universidade Católica de Brasília

UNICEUB - Centro de Ensino Unificado de Brasília

União Pioneira de Integração Social – UPIS

Faculdade Dona Dulcina

Coordenador da Cadeira de Metodologia Científica no UNICEUB, de 1974 a 1989.

 

4.LÍNGUAS DE TRABALHO:

oPortuguês – língua materna

oEspanhol – 16 anos de trabalho, coordenando e ministrando cursos na área de emprego e formação profissional em espanhol.

oItaliano – 16 anos de vivência na Itália.

oInglês – idioma utilizado em reuniões no Centro Internacional de Formação da OIT, durante16 anos.

 

5.EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

1Funcionário Internacional, Coordenador de Programas do Centro Internacional de Formação da OIT, em Turim, Itália de 01 de outubro de 1989 até 31 de outubro de 2005.

2Professor Universitário de Metodologia Científica e Psicologia da Educação no Centro de Ensino Unificado de Brasília de 1971 a 1989.

3Servidor do SENAI, exercendo atividades como Diretor de Formação Profissional, Diretor de Centro de Desenvolvimento de Recursos Humanos e Assessor de Cooperação Internacional de 1979 a 1989.

4Servidor do SENAC-DF, Coordenador da Área de Escritório e Vendas, de 1971 a 1974.

5Professor da Fundação Educacional do Distrito Federal, Coordenador da Equipe de currículos na área das habilitações profissionais, de 1971 a 1977.

6Chefe de Escritório de Elevadores Sur, no Rio de Janeiro, março de 1970 a agosto de 1970.

7Auxiliar de Escritório de Máquinas e Fogões Wallig, em Porto Alegre de 1969 a 1970.

 

6.EXPERIÊNCIA INTERNACIONAL

Coordenação de projetos e atividades de formação profissional como funcionário do Centro Internacional de Formação da OIT, com atividades desenvolvidas nos seguintes países e instituições:

1-Alemanha: DSE/InWEnt    

2-Angola: MAPESS, Ministério de Educação, INAP e IFAL.

3-Argentina, Ministério do Trabalho, Ministério da Educação, INET e CONET.

4-Brasil: SENAR, SENAI, SENAC, SESC, SENAT, Instituto de Hospitalidade, Câmara de Comércio Brasil/Itália, Ministério do Trabalho, Ministério da Educação e OIT de Brasília, Abraman e EMBRATUR

5-Canadá: Ministério de Desenvolvimento de Recursos Humanos e Capra Internacional.

6-Costa Rica: Ministério do Trabalho, INA e OIT de São José.

7-El Salvador: Ministério do Trabalho, INSAFORP, CENDEPESCA, e ITCA.

8-Equador: Ministério do Trabalho e SECAP.

9-Espanha: Ministério da Educação, Ministério do Trabalho, IMSERSO, Ministério da Marinha, INEM, INCUAL e OIT de Madri.

10-Estados Unidos: Colégios Comunitários de San Diego e OIT de Washington.

11-França: AFPA e OIT de Paris.  12- Honduras: Ministério de Educação, INFOP e CADERH.

13-Guatemala: Ministério do Trabalho e INTECAP. 

14- Inglaterra: NCVQ/QCA e OIT de Londres.

15-Itália: CNOSFAP, Confindustria e Centrais Sindicais Italianas.

16-México: DGCFT, ICATMI, COSNET, CONOCER e OIT do México.

17-Nicarágua: INATEC e Centro de Formação Santiago Baldovinos.

18-Panamá: INAFORP    19- Paraguai: CNPP e Ministério do Trabalho.

20-Portugal: Centro Alimentar de Lisboa, IEFP e OIT de Lisboa.

21-República Dominicana: INFOTEP     22-Uruguai: UTU e CINTERFOR.

23-Venezuela: Ministério do Trabalho e INCE.

Consultor do INA de Costa Rica para a implementação do Sistema de Normalização, Formação e Certificação de Competências do Setor de Turismo de 1999 a 2001.

Consultor do Instituto de Hospitalidade, Salvador-Bahia em 2002 e 2003 para a implementação dos sistemas de normalização, formação e certificação de competências no Setor de Turismo.

Consultor em formação profissional do SECAP, Equador, de junho de 1995 a julho de 1996.

Assessor de Cooperação Internacional do SENAI, coordenando projetos e atuando como docente em atividades de formação profissional nos seguintes países: Angola, Costa Rica, Equador, Guatemala, Honduras, Moçambique, Nicarágua e Tanzânia.

Coordenador do projeto “Desenvolvimento de um Sistema Nacional de Competências Laborais no Setor Turismo” na Costa Rica.

Coordenador do projeto de Formação de Formadores nas áreas de Turismo, Eletricidade, Eletrônica e Metal Mecânica nos países da América Central e República Dominicana (756 instrutores formados com recursos da Comissão Europeia).

Coordenador do Projeto de Atualização Técnica de Instrutores no México (Formados 800 instrutores em 27 Estados).

 

7. ATIVIDADES PROFISSIONAIS DE 2006 A 2010.

De 2006 a 2011, exerce atividades de consultoria internacional na área do emprego e gestão de sistemas educação profissional por competências, como segue:

Na Europa

•Ministrados quatro cursos sobre mercado de trabalho, gestão de sistemas de educação profissional por competências, avaliação de competências e avaliação de impacto no Centro Internacional de Formação da OIT de Turim-Itália, para participantes de países da América Latina, Países da África de Língua Portuguesa com viagens de estudos na Alemanha, Espanha, Itália e Portugal.

•Organizada viagem de estudos para Conselheiros e Diretores do SENAC-RJ na Espanha e Portugal.

No México

•Ministrados cursos de informação sobre o mercado de trabalho, gestão de sistemas de educação profissional por competências em Monterrey e Morelia.

•Proferida palestra para l.600 pessoas e coordenado painel sobre a inserção de pessoas com necessidades especiais no mercado de trabalho durante o Congresso Internacional sobre Necessidade de Integração de Pessoas com Deficiência, realizado na cidade do México.

No Brasil

•Coordenação técnica de três seminários para o GESPÚBLICA, sobre a gestão da qualidade no serviço público e programas de capacitação e avaliação e certificação de competências.

•Elaboração de projeto para a capacitação flexível, modular e por competências e a certificação de pessoas do GESPPÚBLICA da Secretaria de Gestão do Ministério do Planejamento.

•Ministrados três cursos sobre mapeamento de competências, avaliação e certificação de pessoas, cursos promovidos pela Educação Magister e Menthorconsult.

•Realizada pesquisa sobre a certificação profissional e de pessoas, promovida pelo SENAI-DN/INMETRO

•Proferida palestra sobre gestão por competências e certificação de pessoas para diretores e técnicos do CESPE/UNB.

•Apresentação dos Resultados da Pesquisa sobre a Certificação Profissional e de Pessoas no Fórum Internacional de Certificação de Pessoas, São Paulo, 30 de setembro de 2010.

•Coordenação do Seminário Avaliação de Competências, Certificação Profissional e de Pessoas, realizado em Brasília pela Lex-Magister em dezembro de 2010.

•Coordenação do Workshop Gestão de Competências (Aprimoramento da Avaliação de Desempenho por Competências) do Tribunal Regional Eleitoral-RS, dezembro de 2010.

 

8. PUBLICAÇÕES

•A aprendizagem de adolescentes em Formação Profissional. Rio de Janeiro, SENAI-DN, 1986.

•Passos científicos do Magistério. Revista Universitas. Centro de Ensino Unificado de Brasília, 1972.

•Manual de Mecanografia. Fundação Educacional do Distrito Federal, 19972.

•Reformulação de Currículo. Brasília, FEDF, 1972.

•Manual de tarefas industriais. Brasília, SENAI/DF, 1980.

•Reestruturação técnico-administrativa. Brasília, SENAI/DF, 1980.

•Identificación de necesidades y formulación de objetivos de formación sindical, Turín, 1991.

•Proyecto de actualización técnica de instructores de Instituciones de Formación Profesional del Istmo Centro Americano y de la República Dominicana desarrollado con recursos de la CEE: Una Serie de 27 documentos publicados por el Centro de Turín, en 1993.

•Proyecto de Formación de formadores: una serie de 15 documentos publicados por la DGCFT/SEP, México, 1994.

•Mercado de trabalho e novas oportunidades de emprego para o homem do campo na Itália e no Brasil. SENAR, Internet,1998.

•Centro Internacional de Formação da OIT: um centro de desenvolvimento de recursos humanos de alto nível. Brasília, 1998.

•Turismo e desenvolvimento de recursos humanos. Recife, II Bienal, 1998.

•Mercado de Trabalho Rural: informação e aplicação. Brasília, SENAR, 1998.

•Tendências do mercado de trabalho e políticas de educação profissional rural. Brasília, 1998

•Modelos de competência profissional. Rio de Janeiro, ABRAMAN, 2000.

•Formação por competências profissionais. Brasília, 2000.

•Certificação de competências profissionais. Relatos de algumas experiências brasileiras (Coautor). Brasília, Ministério do Trabalho e Emprego. 2001.

•Análise qualitativa do trabalho. Avaliação e certificação de competências.(Co-autor). Brasília, Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil, 2002.

•Manual para gestores da formação. Luanda, março de 2004.

•Novas formas de organização do trabalho e formação à distância.Brasília.SENAR.2006.

•Exigências de perfis no mercado de concursos: competências requeridas pelo serviço público, artigo publicado pelo jornal do CESPE/UNB. Brasília, junho de 2010

•A Certificação Profissional e de Pessoas. Relato de Algumas experiências Brasileiras. São Paulo, 1. ed., Editora Érica/SENAI, 2010.

 

Documentos elaborados em 2011 e 2012:

 

•Análise documental da Classificação Brasileira de Ocupações – CBO, junto ao Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, a respeito dos títulos; descrição sumária; atividades; formação e experiência; condições gerais para o exercício da profissão; código internacional; e atividades descritas na Classificação em relação às profissões de nível superior que atuam no SUAS, para análise comparativa com as descritas na síntese dos resultados dos Encontros Regionais e Nacional dos Trabalhadores da Assistência Social, a ser fornecido pelo MDS.

•Análise documental da Classificação Brasileira de Ocupações – CBO, junto ao Ministério do Trabalho e Emprego – MTE, a respeito dos títulos; descrição sumária; atividades; formação e experiência; condições gerais para o exercício da profissão; código internacional; e atividades descritas na Classificação em relação às ocupações de nível médio e/ou inferior, para análise comparativa com as descritas na síntese dos resultados dos Encontros Regionais e Nacional dos Trabalhadores da Assistência Social, a ser fornecido pelo MDS.

•Análise documental das Competências, Habilidades e Técnicas descritas e documentadas no texto redigido após o Encontro Nacional dos Trabalhadores do SUAS como sendo aqueles “saberes” necessários para a execução dos serviços sócio-assistenciais da Proteção Social Básica e Proteção Social Especial de média e alta complexidade e comparativo com o descrito pela CBO.

•Documento técnico contendo a análise cruzada dos saberes necessários pela CBO para profissionais de nível superior e os saberes descritos pelos trabalhadores no Encontro Nacional dos Trabalhadores do SUAS para apresentação junto ao MTE e possível atualização da Classificação Brasileira de Ocupações.

•Documento técnico contendo a análise cruzada dos saberes necessários pela CBO para profissionais de nível médio e/ou inferior e os saberes descritos pelos trabalhadores nos Encontro Nacional dos Trabalhadores do SUAS para apresentação junto ao MTE e possível atualização da Classificação Brasileira de Ocupações.

•A Evolução dos Modelos de Gestão por Competências nas Empresas, artigo elaborado por Ivo Steffen e Gerardo Capano a ser publicado pelo Boletim Técnico do SENAC em junho de 2012.

Código: TNSEDPROF12.