SOBRE PENSÕES E PLANOS DE SAÚDE

Planos e Seguros de Saúde

 

Propostas da AAFIB

 

1-Estabelecer mínimos iguais para todos os planos, em itens selecionados, como cobrir gastos de controles preventivos de saúde e adotar critérios médicos para cirurgias de natureza plástica corretivas, que beneficiam a saúde;

 

2-Considerar despesas hospitalares e cirúrgicas sem limites arbitrários (cobertura hospitalar integral) com limites definidos por critérios médicos e não pelo bolso do pensionista;

 

3-Reembolso mais ágil: Montar arranjo de devolução rápida das despesas com ajuste posterior da demonstração de gastos, mantendo-se uma conta corrente por pensionista, com punição severa para “armações e falsificações”;

 

4-Facilitar a realização de convênios com hospitais e serviços médicos de pronto-socorro nas Regiões e não apenas em Genebra ou Nova York;

 

5-Flexibilidade na adesão: que permita aos aposentados que, por alguma razão não aderiram a um afterservicehealthinsuranceno momento de retiro, que se reintegrem, mesmo em condições menos vantajosas.  É injusto que alguns tenham sido excluídos por motivos como falta de informação ou perda de prazos. 

 

6-Manter a possibilidade de um dependente se manter no plano com os custos a seu cargo, para dependentes que alcancem limites estabelecidos para permanência subsidiada; nos países os planos de saúde individuais estão cada vez mais limitados, indisponíveis;

PENSÕES

Propostas da AAFIB

1-Redução ou eliminação do gatilho inflacionário, e correção desde o primeiro dia do ano. Em curto prazo, baixar o piso para 1% e quando não alcançar esse valor em dois anos realizar o ajuste pelo IPC acumulado, sem piso. E por que esperar para abril?

 

2-Considerando que a inflação nos Estados Unidos e particularmente em Nova York, não reflete nenhuma outra realidade no mundo, o Fundo precisa apurar com precisão os mecanismos de ajuste das pensões nos respectivos países; A Dupla Via pode ser a resposta para correção e ajuste das pensões e por isso merece ser bem estudada e aperfeiçoada, incluindo estudos de aproximação com os cálculos do post adjustment, melhoria das estimativas dos índices de preços e transparência nos cálculos e na sua aplicação;

 

3-Abertura de opção alternativa por qualquer das vias, com critérios válidos;

 

4-Maior apoio informativo ao funcionário em vésperas de adquirir o estado de aposentado;

 

5-Estudo da viabilidade de adoção de seguro de câmbio coletivo (as empresas fazem aplicações especiais para funcionar como hedges);

 

6-Maior número de informações sobre cada pensionista no website do Fundo, incluindo um cálculo simulado do valor da pensão do cônjuge sobrevivente em caso de falecimento do titular;

 

7-Reforço do papel da FAFICS defendendo seu voto nas decisões regulares do Fundo (Não apenas voz, mas também voto).

 

Conquistas:

Podemos reconhecer alguns ganhos nos últimos anos em resposta à luta dos aposentados através de suas organizações:

 

1-O gatilho inflacionário que decide sobre os aumentos de pensão em abril de cada ano baixou de 3% para 2%;

 

2-O Sistema de Ajustes de Pensões pelo Art. 26 autoriza o CEO do Fundo a suspender a aplicação da Via Dupla em países que não dispõem de informação atualizada de Índice de Preços ao Consumidor – IPC;

 

3-As pensões sob a Via Dupla não podem ser reduzidas a valores menores que 80% do valor da Via Dólar (antes podiam chegar a 10%);