NOTAS DA REUNIÃO DA AAFIB/BRASÍLIA

Reunião 16 de maio de 2018

Horário: das 10:30 às 12:30

Local: Sala Luis Carlos Costa, Casa das Nações Unidas, Setor de Embaixadas Norte, Quadra 802 – conj. C – Lote 17, Brasília – DF

Assuntos tratados

A reunião foi presidida por Ralph Hakkert, Diretor do Núcleo de Brasília, que também tomou as notas para elaboração da ata e destas notas.

 

1. Apresentação de novos Associados

Foram apresentados dois novos associados que estiveram presentes à reunião: Josefina Rivero, aposentada da CEPAL e Luis Gonzaga Almeida, aposentado da UNESCO.

 

2. MIP e Seguro de Saúde Complementar

 

Na próxima reunião da FAFICS, em julho próximo, em Roma, será tratado o tema do MIP (Medical Insurance Plan). A AAFIB, em consulta com as AFICS da região, apresentará uma proposta para a melhoria do esquema atual que posteriormente terá que ser negociada com o PNUD e o Fundo de Pensões. Atualmente os ex-funcionários internacionais têm uma cobertura de até 250 mil dólares via Cigna, os ex-funcionários nacionais de UNESCO, OIT e FAO têm uma cobertura de 150 mil, mas os demais funcionários têm uma cobertura inaceitavelmente baixa de apenas 30 mil por ano. O documento  MIP do PNUD gera problemas sobretudo aos aposentados que, na idade mais avançadas , precisam de cuidados médicos com mais frequência.

Maiores detalhes sobre a proposta para a FAFICS podem ser encontrados no Boletim AAFIB 124. Para situar a questão se reproduz abaixo o trecho do Boletim que se refere à nossa proposta:

Considerando que a situação dos funcionários que dependem do MIP é inaceitável, a FAFICS está dando prioridade a esta questão. A AAFIB-Brasil, em consulta com as AFICS da Região de América Latina e Caribe que apoiam a iniciativa preparou uma proposta alternativa. Esta proposta foi submetida ao grupo de trabalho ASHI da FAFICS para ser examinada cuidadosamente e, a partir desta análise, encontrar a forma de melhorar a cobertura do plano de saúde MIP. A principal sugestão feita para o Conselho é que o limite do "Novo MIP" seja aumentado em pelo menos 20 vezes o salário de referência por ano dos funcionários locais na ativa ou aposentados. Entende-se que, para viabilizar esta proposta, o valor retido de quem está na ativa deva ser maior que a dedução atual e que o mesmo deva ser aplicado às deduções feitas dos aposentados para o ASHI.

Por outro lado, os esforços para montar um esquema de seguro complementar para os ex-funcionários nacionais até agora não prosperaram. Várias pessoas se comunicaram com a Anelise, da Pacific Prime, mas no final todos chegaram à conclusão de que não compensava. O apoio dos RRHH tem facilitado o encaminhamento dos problemas.

3. Convênios médicos

 

Atualmente existem convênios do Cigna com os seguintes hospitais em Brasília:

Clínica Villas Boas; HOB – Hospital Oftalmológico de Brasília; HOME;

Hospital Daher Lago Sul; Hospital do Coração do Brasil; Hospital Maria Auxiliadora;

Hospital Maternidade Brasília; Hospital Pacini de Oftalmologia; Hospital Santa Helena;

Hospital Santa Lúcia; Hospital Santa Lúcia Norte; Hospital Santa Luzia; Hospital São Mateus. Em breve os serviços completos do Hospital Sírio-Libanês de São Paulo também estarão disponíveis em Brasília, cobertos por convênio. Na parte laboratorial, é bom saber que existe um convênio com o Laboratório Sabin.

Um dos hospitais que ainda não tem convênio com Cigna é o Hospital Brasília que, para muitos de nós, é importante pela localização conveniente. George Martine e Giovanni Quaglia recentemente tiveram uma conversa com a direção do hospital, para ver se seria possível estabelecer um convênio. A direção está estudando a ideia.

A conversa com a direção foi provocada por uma experiência pessoal do George Martine que em março teve um problema de saúde que poderia ter sido grave, mas que felizmente terminou bem porque ele se internou em tempo...... no Hospital Brasília. Apesar do bom final da história, ela fez com que ficasse evidente a conveniência de ter um convênio do hospital com a Cigna. O seguro normalmente (se não há convênio) reembolsa só 320 dólares por dia para o leito hospitalar, mas na UTI do Hospital Brasília o custo é cinco vezes maior do que isso. No final a conta ficou elevadae George teve que pagar 16% do próprio bolso, enquanto foi reembolsado pelos demais 84%. Se houvesse um convênio, ele não teria pago nada e a questão financeira teria sido resolvida diretamente entre o hospital e Cigna. Portanto, realmente vale a pena estender o número de convênios.

O fato é que não basta ter um convênio com alguma instituição da área de saúde, é preciso administrar a relação.

Como somos relativamente poucos, é perfeitamente possível que o número de atendimentos seja muito reduzido em relação a Cigna. Ou seja, talvez seja o caso de fazer um trabalho de aproximação concreta com as instituições conveniadas para garantir que saibam da nossa existência...

 

 George fez uma proposta para que houvesse alguma pessoa a quem se pudesse recorrer no caso de uma internação, para intermediar as questões burocráticas e eventualmente acompanhar a pessoa no hospital, caso não haja familiares para fazê-lo. Concretamente, nas cidades onde existe uma massa crítica suficiente, a proposta seria:

1)         Identificação pela Diretoria e associados de um grupo de (5 a 10) pessoas que teriam condições de disponibilidade, mobilidade e interesse para realizar esse serviço. (Considera-se que no rol dos aposentados locais, haveria várias pessoas conhecidas com estas características);

2)         A AAFIB faria uma seleção de umas cinco candidatos por cidade e ofereceria um treinamento de um dia para elas, manteria esse roster atualizado e determinaria o nível de remuneração dos serviços;

3)         O associado teria acesso fácil a estas pessoas no seu Whatsapp e pagaria o serviço diretamente ao acompanhante se e quando for utilizado.

 

Josefina Rivero relatou que em Santiago do Chile havia uma pessoa disponível na própria recepção do hospital para tratar da parte burocrática das internações. Mas evidentemente, no caso de Brasília, não há um número de funcionários e aposentados suficientemente grande para justificar isso. Daí a proposta sugerida pelo George para suprir essa necessidade.

 

No mesmo contexto, Ivo Steffen informou que está organizando um fundo pessoal de emergência, para tratar destes e de outros eventos imprevistos. Existem dois tipos de planos de previdência privada: o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) e o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre). O PGBL é indicado especialmente para quem entrega a declaração completa do Imposto de Renda e pode aproveitar benefícios fiscais. Quem contrata um PGBL consegue deduzir até 12% da renda tributável ao ano da base de cálculo do IR. Isso significa que a pessoa poderá pagar menos IR agora, colocar o dinheiro para render e só acertar as contas com o Leão lá na frente. Uma das grandes vantagens destas aplicações é que elas não estão sujeitas a direitos de sucessão de modo que, em caso de morte, não precisam passar pelo inventário e estão imediatamente disponíveis para os herdeiros. Este seria um dos pontos para discutir em agosto.

 

4.Comunicações diversas

 

Foi aberto um espaço para comunicações diversas no qual os seguintes temas foram levantados:

  1. Eliana Ferreira Martins pediu para comunicar a todos o evento organizado pelo Ministério da Agricultura / ONU / Embaixada da Eslovênia, de comemoração do Dia Mundial das Abelhas, no dia 23 às 6 horas da tarde, no Prédio da ONU. O anúncio formal já foi enviado a todos por e-mail.

 

  1. Josefina Rivero falou sobre as suas atividades na ASOI (Associação das Senhoras dos Organismos Internacionais) e o seu projeto no bairro de Sol Nascente, para o empoderamento de mulheres de baixa renda, que conta inclusive com o apoio de UNWomen. Os interessados em participar podem se comunicar com ela.

 

 

  1. A pedido, Ivo Steffen reiterou suas experiências com a instalação de painéis solares na sua casa. Existem várias companhias que fazem o serviço, mas ele fez com a Strom do Brasil, tel:3011-4040. No caso dele o orçamento inicial da instalação foi em torno de R$40.000. Com a redução nos custos da conta de energia elétrica dá para recuperar o investimento em aproximadamente cinco anos.

 

  1. Desde o ano passado Ivo teve que assumir a responsabilidade pela gestão da Brasília Super Rádio FM. Teve problemas para continuar a financiar a operação da rádio, mas recentemente conseguiu um financiamento do ECAD. Desde o dia 1º de maio a Brasília Super FM está operando pela internet em http://www.superfm.com.br/ com a mesma tradicional programação que era transmitida em FM na frequência de 89,9 MHz. Nesta frequência agora há uma programação diferente, focalizada em música e jornalismo local.

 

 

  1. Ivo também começou a transmitir as suas experiências com herança e inventários. Este é um assunto que vai tocar a todos nós em algum momento e para o qual muitas vezes nos preparamos insuficientemente. Decidiu-se que seria melhor deixar esta discussão para outro momento, com mais tempo, possivelmente na nossa próxima reunião, de agosto.

 

5.Treinamento em uso de internet para funções ligadas a aposentadoria e seguros

 

A colaboradora da AAFIB, Sumaya Garcia, lançou um projeto "RYON" (Retired Yes, Out of theWorld No), para viabilizar a conexão dos aposentados ao mundo digital.
A ajuda de Sumaya é muito preciosa e ela é a webmaster da página da internet da AAFIB entre outros trabalhos voluntários.Ficou decidido que a AAFIB - Brasília vai organizar um workshop para os aposentados e familiares, tentativamente no final de Junho, e que se farão as gestões  necessárias com as agências da ONU para conseguir o local e apoio técnico. Giovannie Maria Dulce estão viabilizando a missão de Sumaya.

 

  1. Participantes

 

Ralph Hakkert, Giovanni Quaglia , Juan Zavattiero, George Martine, Maria Dulce Almeida, Luis Gonzaga, Josefina Rivero (com marido), Teresa Chaves, Moira Lawrence, Márcia Maria Prates,Eliana M. Martins Ferreira, Milton Thiago de Mello, Ivo Steffen, Bernadeth Martins.

NÚCLEO DA AAFIB\BRASÍLIA FAZ PRIMEIRA REUNIÃO DO ANO

No dia 28 fevereiro passado o Núcleo se reuniu como de praxe na Sala Luis Carlos da Costa da Casa das Nações Unidas, no Setor de Embaixadas Norte entre 10:30 e 12:30.

Inicialmente foram apresentados os novos associados, Graça Campos, aposentada da UNICEF  e Carmen Mendes Müller, aposentada da FAO. Giovanni deu as boas-vindas às duas colegas e já engajou Carmen Müller como secretária da reunião.

Em seguida foi realizada a palestra programada para a data, do engenheiro Luciano Menezes, da Agencia Nacional da Água (ANA) sob o título de A Água no Brasil e no Mundo.

Após a apresentação do tema tão atual e importante, Cristina Montenegro destacou que a palestra de Luciano Meneses está ligada ao ODS (antigo ODM da ONU), e indagou sobre qual seria o problema chave do Brasil, ou o seu principal desafio. Após um breve debate chegou-se à conclusão que “o principal desafio é a capacidade de formular projetos bem feitos”.

O palestrante destacou as questões de despoluição das bacias hidrográficas e a realização no Brasil do 8º. Fórum Mundial da Água, justamente em Brasília.

A reunião foi presidida por Ralph Hakkert, Diretor do Núcleo de Brasília.

Carmen Mendes Müller secretariou esta sessão.

Antonio Giles mencionou que irá enviar por e-mail o filme de Tony Martin (seu filho) sobre o tema Água.

Logo após foi colocado o tema do Seguro de Saúde complementar da AAFIB. Cada Associado interessado no Plano oferecido pela Corretora Pacific Prime  deve entrar em contato com a Senhora Anelise para negociar o tipo de Seguro que estaria mais apropriado para o seu caso.  Cada caso é um caso dependendo do número de participantes, idade, situação de saúde atual,  problemas no passado, etc. Será preciso telefonar para Anelise mencionando que faz parte do “Grupo de Afinidade da AAFIB” e aguardar a chamada dela de volta. Quem não dispõe do telefone deve se comunicar com a AAFIB.

 

Foi ainda comunicado que o valor do MIP no ano de 2018 é de aproximadamente US$ 30.000, bem limitado para a realidade.

 

Finalizando, Giovanni Quaglia lembrou da contribuição da anuidade da AAFIB e se colocou à disposição para os que quisessem  fazer o pagamento naquela oportunidade. Todos aproveitaram para fazê-lo.

Participantes

Ralph Hakkert, Giovanni Quaglia ,Cintia Freitas , Maria Dulce Almeida, Miguel Genovese, Maria Helena Diogo, Julio Manuel Suarez , Márcia Maria Prates, Antonio Giles, Celso Schenkel, Graça Campos, Celio da Cunha, Eliana M. Martins Ferreira, René Vossenaar, Cristina Montenegro, Tereza Chaves, Lilia Maria Chuff Souto, Milton Thiago de Mello, Carmen Lucia Mendes Müller, Ivo Steffen, Carlos Castro, Júnia de Souza Puglia.