BOLETIM AAFIB 126 - OUTUBRO / NOVEMBRO / DEZEMBRO 2018

Associação dos Antigos Funcionários Internacionais do Brasil                                                                      

(aafib.net)    Fundada em 1987       Afiliada à  FAFICS

Este é o último Boletim do ano e cobre os três últimos meses. Não vai, então, poder expressar os resultados das urnas e as perspectivas mais imediatas que virão em consequência. Foi um ano em todos os sentidos provisório, muitas decisões de rumo para o país ficaram para o pós-eleições e outras para o próximo governo. Não sabemos como estaremos no próximo ano, a corrida eleitoral tem sido instável e contrastante, sujeita a surpresas e emoções desencontradas. Uma parte do país estará festejando, mas outra parte terá necessariamente motivos para promover confrontos ou desistir de vez (por um tempo?) e acenar para outras atrações,
talvez até mais gratificantes. Dificilmente o país estará unido. Vivemos um ano marcado por um governo contestado, jogando na defensiva e sem força para enfrentar novos horizontes. No plano interno, foi um bom período para os colegas
da Via Dólar, não sabemos até quando. Nem sabemos quais serão e o que pensam as novas autoridades econômicas do futuro. E como estará desenhada a política de combate à inflação, importante para as duas vias?


ENVELHECIMENTO \ AGEING


Envelhecimento é para ser comemorado e não para justificar incompetência governamental e exploração midiática. A gente lê muita coisa solta na mídia sobre o envelhecimento da população que logo se extrapola para o desafio da previdência. Uma simplificação equivocada do assunto. Ignora que o boom de nascimentos de anos anteriores criou uma dificuldade que até hoje não encontra solução.

 

Não discute a péssima e excludente educação que não gerou os recursos humanos de qualidade que ampliariam a produtividade, porque para um governo chinfrim produtividade é só produzir mais com menos gente. Não lembra que os sucessivos governos foram imediatistas e não aproveitaram os momentos de bonança da economia, quase sempre reflexa da situação externa, porque sempre se insistiu num Brasil fornecedor de matérias primas, incapaz de investir no valor agregado de uma indústria potente, geradora de empregos. Como não governa para criar empregos, não pode sustentar uma previdência. Não é substancialmente por conta do envelhecimento da população que a previdência passa aperto, é porque não tendo produção e emprego, não tem quem pague a previdência.

 

Governos populistas que não são capazes minimamente de aumentar o tempo de trabalho e adiar a aposentadoria, em correlação com o aumento do tempo de vida da população. Muita gente se retira de buscar emprego e se aposenta de qualquer maneira por falta de oportunidade de emprego e porque não tendo produtividade não consegue bons salários e prefere sair do mercado a se matar para ganhar miséria imposta por um sistema produtivo capenga. Não são capazes de praticar uma política social igualitária, só geram desigualdade de oportunidades e renda.

 

Os jornalistas, despreparados porque já não precisam cursar a faculdade, desinformados e obrigados a preencher espaços diários na mídia, que pegam qualquer pesquisa duvidosa, fazem leituras parciais dessas pesquisas, alimentam sensacionalismos baratos e vivem do impacto imediato porque amanhã já estarão produzindo novas notícias de impacto. Deviam saudar o fato de a população conseguir sobreviver e envelhecer, coisa difícil no país, com a violência matando a juventude e, no raciocínio imediatista da mídia e do governo, reduzindo a busca pelo emprego.

Conseguir envelhecer nesse Brasil não é coisa preocupante, porque a maioria fica pelo caminho! Se nossos sistemas públicos de saúde, educação, lazer e cultura fossem de qualidade as demandas do envelhecimento causariam menos problemas e demandariam menos recursos individualmente. Vamos debater o tema, mas com gente qualificada para isso, e não perder tempo em afirmações que não se sustentam quando melhor analisadas.


A Idade Bem-Vinda


Uma mostra de como cresce a população de mais de 60 anos, marco formal no Brasil para desfrutar de benefícios legais, foi a recente adoção de novo marco para os mais idosos, acima de 80 anos, a Lei 13.466\2017, que estabelece prioridade sobre prioridade para esse grupo. Essa nova lei vem sendo cumprida de modo geral.


Os mais idosos ganharam também mais espaços nos chamados processos de interdição, não se decreta mais a incapacidade de ninguém. A nova prática cria a possibilidade de decidir sobre a própria vida com a nomeação de curadores, em pessoas de sua confiança, para a administração de bens e apoio a decisões. Isso se complementa com o “testamento vital”, onde o idoso ou deficiente pode especificar os cuidados que deseja ter quando perder de vez sua autonomia, dentro de certos limites. A mídia tem dedicado cada vez mais espaço na discussão e indicação de recursos técnicos e legais para ajudar as pessoas mais idosas no Brasil.

 

Em recente reunião no exterior o presidente da AAFIB expôs sobre os recursos institucionais que dispomos no país e causou impacto pelo ineditismo de nossa legislação, embora muitas práticas ainda caminham na direção de alcançar maior respeito. A AAFIB tem um programa em andamento, conduzido pela colega Maria Helena Muller e dedicado a nossos próprios associados. Esse programa se beneficia igualmente dos programas das Nações Unidas que também enfrentam esse desafio irrecusável de pensar um futuro menos sombrio para a humanidade, certamente com a participação crescente de pessoas idosas.


Envelhecimento: Tema da agenda do Conselho da FAFICS


Três observações haviam sido submetidas sobre questões relacionadas com o envelhecimento, ou seja, uma nota por AAFI-AFICS Genebra, uma nota por AFICS-Maurício e em sessão uma nota por IAFICS-Israel. AAFI-AFICS Genebra informou que eles são o ponto Focal da FAFICS para o envelhecimento e estão trabalhando em funções significativas mas que darão boas-vindas a sugestões. Em discussão, foi acordado que seria um papel valioso para coletar, consolidar e compartilhar informações sobre as atividades de várias associações-membro, bem como representando oficialmente a FAFICS nas reuniões das organizações do Sistema que abordam o envelhecimento. AFICS-Maurício novamente apresentou uma proposta para apoiar a futura criação de um órgão da ONU sobre envelhecimento e solicitou que FAFICS mantivesse este item em sua agenda, uma vez que os problemas estão se tornando mais significativos e os idosos têm um papel a desempenhar.

 

Durante a discussão, a IAFICS-Israel assinalou que a Organização Mundial da Saúde desempenha um papel importante nas questões do envelhecimento no Sistema das Nações Unidas, e que as preocupações e itens específicos poderiam ser passados para a OMS. Mesmo
tendo havido acordo geral em que o envelhecimento deve ser mantido na agenda da FAFICS, esse apoio não foi suficiente para uma discussão mais aprofundada da possível criação futura de um órgão separado da ONU sobre o envelhecimento em virtude de muitas partes separadas do Sistema das Nações Unidas já estarem envolvidas em fazer avançar a agenda de envelhecimento.

AFICS Austrália apoiada pelo BAFUNCS (AFICS britânica) pediu que a carteira de um dos Vice-presidentes assuma o tema envelhecimento - além do Ponto Focal em Genebra. O Presidente da Sessão resumiu a discussão, afirmando que a FAFICS precisa ser oficialmente representada nas reuniões sobre o envelhecimento organizadas pelos Organismos das Nações Unidas, e que à AFI-AFICS foi dado o papel principal nesta representação, mas que todas as Associações devem se assegurar que estão conscientes deste tópico. Ele observou com apreço as três submissões e solicitou à Secretaria uma revisão apropriada do tema.


NÚMERO E COMPOSIÇÃO PELA IDADE DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS DA ONU


Na tabela e gráfico a seguir são mostradas porcentagens de idade de aposentados/pensionistas para quatro países da América Latina: Argentina, Brasil, México, Uruguai e nos Estados Unidos e o total no mundo, em junho de 2018. Pouco mais da metade dos aposentados no Brasil têm mais de 70 anos. Nesta faixa etária geralmente há maiores dificuldades para se comunicar em geral e pela internet, através do uso de computadores, que são necessários para os diferentes procedimentos em geral, e em particular, para comunicar-se com o Fundo de Pensões, procedimentos bancários e de seguros de saúde, entre outros. Além disso, precisa de mais cuidados de saúde, incrementam-se as necessidades de medicamentos e de cuidados de longo prazo. Este fenómeno de envelhecimento relativo da população de aposentados é dada na maioria dos países e requer consideração especial do Fundo de Pensão. (Fonte: informações divulgadas pela equipe do Representante do Secretário-Geral (RSG) para Investimentos,

 

Sudhir Rajkumar/ FAFICS Conselho) % Todos Argentina México Brasil Uruguay USA


<21 11 2,6 1,4 1,8 3,7 4,7
21-55 3 1,5 1,7 3,3 3,2 2,4
55-62 7 3,6 4,9 6,2 8,9 5,5
62-65 11 8,2 11,2 11,8 10,0 10,5
65-70 18 15,4 19,3 23,1 14,2 19,7
70-75 16 14,4 21,0 15,4 20,0 18,5
75-80 13 18,8 12,4 14,1 15,3 14,8
80-90 16 25,2 17,5 20,0 16,8 18,1
90-100 4 10,3 9,8 3,7 7,4 5,6
>100 0,14 0,0 0,9 0,5 0,5 0,2
Total No. 72.559 389 348 566 190 10.844


(texto e tabela inspirados no que aparece no Noticiero Argentino)


Declaração introdutória à Assembleia Geral da FAFICS
Sudhir Rajkumar


(RSG para Investimentos do Fundo de Pensão das Nações Unidas) É uma honra ter sido designado pelo Secretário Geral para representá-lo no gerenciamento dos recursos do Fundo de Pensão das Nações Unidas. Sei que muitos membros têm manifestado preocupação sobre alguns aspectos do Fundo de Pensão. Na medida em que tais preocupações se referem aos investimentos, quero assegurar a todos que estamos revisando e atuando de maneira ativa, cuidadosa e ponderada. Acredito sinceramente que o Setor de Gerenciamento de Investimentos e todos os nossos membros possuem os mesmos objetivos: assegurar que os recursos do Fundo de Pensão sejam gerenciados com prudência e buscando ótimos resultados. O principal objetivo do Fundo é ser totalmente capaz de cumprir suas obrigações com os beneficiários atuais e futuros, que contam mais de 205.000 ativos e aposentados.


Sobre os investimentos: no ano passado, foram adicionados U$ 9,7 bilhões aos recursos do Fundo de Pensão, o maior aumento da sua história. Contudo, sabemos que o mercado financeiro é bastante volátil, podendo anular facilmente os ganhos obtidos de um ano para outro. Desde o início de 2018, apesar da crescente volatilidade do mercado (principalmente devido à pujança da economia norte-americana e ao consequente aumento da taxa de juros nos Estados Unidos), o valor do Fundo tem se mantido estável. Os recursos do Fundo de Pensão valiam US$ 64 bilhões em 30 de junho de 2018 (conforme dados preliminares não auditados). Na primeira metade de 2018, o lucro dos investimentos do Fundo de Pensão excedeu o lucro estabelecido pela política de referência. O lucro anual excedeu
confortavelmente o Objetivo de Longo Prazo do Fundo de Pensão de 3,5% reais (líquido da inflação) em termos de dólar, para períodos anuais de 1, 3, 5, 15, 20 e 50 anos terminando em 31 de março de 2018. Apenas o período de 10 anos situa-se ligeiramente abaixo dessa meta, devido à crise financeira global de 2008.

 

A medida do lucro durante períodos longos (15 anos ou mais) é ideal para fundos de pensão, dado que as pensões são pagas durante longos períodos de tempo. É do melhor interesse dos membros que os investimentos dos fundos de pensão mantenham uma perspectiva de longo prazo. O Fundo de Pensão das Nações Unidas é financeiramente saudável e está em boa posição para responder a todas as suas obrigações com os beneficiários, conforme apontado pelo mais recente relatório sobre a análise atuarial (31 de dezembro de 2017). 


Uma pesquisa anônima com todo o pessoal da área de Investimentos (taxa de resposta de 69%) revelou que 71% sentiam que “as coisas estavam mudando para melhor desde o início de 2018”, e ninguém declarou sentir que as coisas estivessem mudando para pior. Queremos aproveitar este bom começo para promover uma comunicação regular, mútua e proativa com todo o pessoal. Desde que assumi minhas funções em janeiro de 2018, venho enfatizando a importância de incorporar práticas sustentáveis de investimento ao portfólio de investimentos globais do Fundo de Pensão, e de fazer todo o possível para incorporar os padrões ambientais, sociais e de governança, bem como as Metas de Desenvolvimento Sustentáveis das Nações Unidas, ao processo de investimento do Fundo de Pensão, sempre que viável. E tenho acrescentado recursos a esse esforço. O Fundo de Pensão está avaliando medidas adicionais para fortalecer nossos esforços nessa área, sob a liderança do Diretor, Herman Bril. Nosso foco se orienta pela crença de que os portfólios que fazem parte dos padrões ESG Metrics em suas decisões sobre investimento têm potencial para gerar lucros superiores aos de portfólios convencionais, ao mesmo tempo em que oferecem menor risco a longo prazo. Nossos esforços foram reconhecidos pelo Relatório de Sustentabilidade PRI de 2018, que aumentou nossa pontuação, assim como por outras instituições independentes atuantes na área.

 

Mais detalhes sobre o Enfoque do Fundo de Pensão ao Investimento Sustentável, e sobre nosso trabalho nesta área, podem ser encontrados em nosso site (AAFIB.NET).


Cobertura de Saúde do Pessoal Recrutado Localmente (ASHI)
MIP (Medical Insurance Plan) (Item 4 da Agenda do Conselho da FAFICS)


Convidado pelo presidente da reunião para apresentar sua proposta, o presidente da AAFIB, Giovanni Quaglia, declarou que foi motivado por dois casos específicos de dificuldades relacionadas com a saúde, envolvendo o pessoal aposentado recrutado localmente e segurado pelo MIP. Informou ao Comité Permanente que a cobertura ASHI cai principalmente em três categorias:


1. Staff recrutado internacionalmente que possui seguro superior, com reembolso anual entre 150mil e 250 mil dólares.

2. Certas agências (como WHO\PAHO; UNAIDS; UNESCO; UNICC; ICAO; CERN; WFP; FAO; ITU e ILO) atendem ao pessoal local (ativos e aposentados) com os mesmos níveis de cobertura do pessoal internacional.


3. Membros do pessoal recrutado localmente nas unidades de serviço fora da sede da ONU são automaticamente inscritos no plano (MIP). Este plano foi voluntário para dependentes elegíveis e aposentados que atendem aos critérios de elegibilidade para a cobertura de seguro de saúde depois do serviço. O teto de reembolso anual médio foi fixado em seis vezes o salário de referência do MIP.

 

Dependendo do país, este limite máximo pode atingir entre 15.000 e 30.000 dólares. O pessoal em serviço, aposentados e seus dependentes elegíveis, abrangidos apenas pelo MIP, são altamente vulneráveis em casos de hospitalização prolongada ou de doença grave. Em alguns países, sistemas nacionais de saúde podem reduzir ou eliminar esta vulnerabilidade, mas esse não é seguramente o
caso do Brasil. 

 

Serviços nacionais de saúde precários e tetos baixos de reembolso anual constituem um cenário desastroso para o pessoal recrutado localmente, abrangidos pelo MIP, especialmente se suas pensões mensais foram inferiores a US$ 3.000. AAFIB-Brasil, em consulta com as associações de FAFICS com base na América Latina e o Caribe que apoiam esta iniciativa, propõe que o teto de reembolso anual
do MIP seja erguido a pelo menos 20 vezes o salário de referência do MIP de ativos e funcionários aposentados. Entende-se que a implementação desta medida exigiria um aumento nas contribuições a pagar pelas respectivas organizações da ONU em causa, bem como pelo pessoal em serviço e aposentados. Um limite máximo fixado em 20 vezes o salário de referência do MIP corresponderia a cerca de 100.000 em países de alto custo e a 50.000 dólares em países de baixo custo.

Esta proposta foi discutida com a associação de funcionários no Brasil. AAFIB-Brasil pede o apoio deste Conselho para que FAFICS possa tomar as medidas necessárias a este respeito. Foi assinalado que as regras do MIP contêm provisão c.5 "Hardship" (situação de dificuldades/Catastróficas) que poderia ser aplicado nos casos referidos.


O Presidente do AAFIB-Brasil indicou que a prestação de dificuldades tinha sido levantada e discutida com o PNUD e CIGNA. Na verdade foi aplicada em um dos casos em questão, o teto sendo levantado de US$ 30.000 para US$ 50.000. No entanto, não foi possível obter um ulterior aumento acima deste valor. Depois de dias na UTI, o aumento do teto tinha sido alcançado e nenhum reembolso adicional
pôde ser reclamado. Em tais casos, quando o tratamento médico se torna inacessível, uma pessoa segurada pelo MIP pode perder a vida.


Uma sugestão foi feita para que seja emitida uma circular ST/AI revista, tornando a aplicação da disposição sobre dificuldades mais flexível. O representante da Associação do Paquistão informou ao Comité Permanente que o mesmo problema foi vivido naquele país. A proposta do AAFIB-Brasil, se implementada, poderia  beneficiar pessoas seguradas sob o MIP também no Paquistão.


O representante da Associação de Burkina Faso indicou que havia muitos problemas com CIGNA. Dependendo do local de residência, havia diferenças de tratamento na administração da reclamação de reembolso. O representante da Associação da Argentina manifestou apoio à proposta. A representante da Associação do Mali indicou que dentro do mesmo país, aposentados da mesma organização poderiam ser tratados de forma diferente, dependendo da configuração administrativa do escritório local de uma organização e sobre a

formação que tenham recebido os oficiais locais de recursos humanos.


O representante da Associação de Bangladesh indicou que tinha havido problemas para o pagamento de prêmios do MIP por dedução das Pensões. Ele teria reunião com a administração da FAO no final do dia para ter este problema resolvido. Se não for encontrada uma solução, ele pediria à FAFICS para intervir. 


O presidente do evento lembrou ao Comitê Permanente que, neste momento, a Assembleia Geral e as Administrações no Sistema Comum da ONU estavam procurando medidas de contenção de custos. Ele sugeriu que a matéria seja absorvida pelo grupo ou subgrupo interagências de seguro de saúde, quando ele for criado dentro de alguns meses. Este não seria um problema que poderia ser discutido por FAFICS com agências individuais em uma base por etapas – deveria ser discutido em um grupo onde todas as partes, incluindo FAFICS fossem representadas.


O vice-presidente sugeriu que, por enquanto, informações complementares sobre este assunto poderiam ser obtidas das associações do Sistema FAFICS. O Presidente observou que na proposta nenhuma razão foi dada para justificar a elevação do teto obtido multiplicando o salário de referência do MIP por 20. Num clima de redução de custos, era preciso ter muito cuidado em como FAFICS aborda estas questões. Ele sugeriu pedir melhoria na aplicação do provimento em ‘hardship’, de como isto poderia ser bem sucedido, dado que não requeria um aumento de contribuições. Um problema real foi também levantado sobre como fazer as coisas funcionarem quando se está no campo e a administração dos seguros em Nova York.


Em conclusão, o Comité Permanente vai solicitar que todas as associações forneçam informações sobre o problema; O assunto deverá ser levado ao Grupo Interagências de seguro de saúde, ou subgrupo, que será instituído nos próximos meses, e a FAFICS está sendo considerada para participar dele. Devem ser buscados meios e modos de incrementar a cláusula de ‘hardship’ nas regras do MIP de modo a chamar a atenção dos responsáveis pelo tema nas Nações Unidas.


DO PRAZER DE VIAJAR (por Maria Costa Pinto)
(viajar é um hábito que muitos trouxemos do trabalho)


Maria Costa-Pinto é nossa colega associada, vivendo no exterior há muitos anos, por opção e para acompanhar seu companheiro, jornalista correspondente de Prensa Latina. Maria trabalhou e dirigiu o UNIC, na Argentina e em Portugal, entre outras locações a serviço das Nações Unidas. A nosso pedido ela nos envia fotos de viagens e fala de suas experiências de vida e trabalho no exterior. Este Boletim publica a correspondência mantida entre o editor e Maria.


Editor: Maria, admiramos a vida que você leva e a experiência que acumula. Gostaria de incluir seus comentários de viagem num dos próximos Boletins. De vez em quando publicamos notícias da forma de vida e aventuras de nossos associados. O Boletim é instrumento de confraternização. É um estímulo para nossa geração, cuja maioria, pela idade, não sai mais de seus arredores. Eu tinha projeto de fugir para Portugal, mas demorei a decidir e o país ficou caro pela demanda não só de brasileiros. Agora olho para Valencia ou a Toscana. Seria um prazer receber suas notas de viagem, para nosso Boletim.

Feira de Istambul

Maria: Eu morei quatro anos em Portugal, como diretora do CINU. Foi muito bom, mas agora com esta invasão de brasileiros não deve estar muito agradável, e os preços parece que estão altos, muito embora ainda não seja um país caro. Eu acho que Valencia seria uma ótima pedida, perto de mar. A Espanha é um país fascinante, mas não gosto de Madri, melhor perto do litoral. A Itália seria uma
grande pedida também, principalmente se a família já dispõe de cidadania. Importante cuidar da saúde antes da viagem, porque estar doente no estrangeiro é complicado.


Envio-lhe algumas fotos de viagens recentes, a Istambul e Eslovênia. Adorei Istambul. Por coincidência a viagem foi na época do Ramadam, uma interessante experiência. Conhecer a antiga Constantinopla para quem está nos Bálcãs é outra experiência muito interessante. A Eslovênia era a única ex república iugoslava que eu não conhecia e a que menos gostei pelas pessoas. A paisagem é muita linda, muito verde e águas cristalinas. Visitamos três museus muito interessantes, um de instrumentos musicais antigos, mais de 300, maravilhoso, e outros dois com ênfase na primeira guerra mundial, que anda bastante esquecida em geral em comparação com a segunda guerra mundial. A próxima aventura ainda não tem roteiro.

 

O meu marido é um jornalista que trabalha para Prensa Latina, uma agência de notícias cubana. Nós nos conhecemos na sede da ONU e estamos juntos desde 1994, é o meu quarto casamento e o segundo dele. Ele se chama Roberto Molina e é um eslavo caribenho, fala russo, sérvio croata, e outras línguas eslavas. Adora isto aqui. Foi correspondente na Yugoslávia nos anos 70, entre vários outros postos na chamada Europa do Leste, inclusive muitos anos em Moscou. É uma pessoa muito inteligente e muito boa, de coração, as duas qualidades que me atraíram nele. Sobre a minha vida, eu tento viver um ano de cada vez.


CONSULTA REGIONAL
Por Amalia Pecos Oroza AEFNUP (Cuba)


Estimados colegas das AFICS da Região Americana


Há tempos que tínhamos interesse em compartilhar experiências sobre as maneiras como as Agências do Sistema procedem em seus respectivos países com os aposentados. Por exemplo, queríamos saber onde os aposentados recolhem seus cheques de pagamento de pensão: das respectivas Agências, ou do PNUD?


Enviam seus CEs (Certificados de Titularidade) através da mala diplomática do PNUD ou utilizam as malas dos seus Organismos de origem? Recebem alguma orientação ou apoio dos PNUDS locais? Recebem apoio direto dos Serviços de Recursos Humanos de suas respectivas Agências? Os aposentados podem usar as malas diplomáticas das respectivas Agências\Organismos para envio de seguros médicos ou qualquer outro documento oficial? Ou utilizam as malas do PNUD?


Agradeceremos compartilhar experiências e práticas dado que há uma versão que insiste em que os vínculos dos funcionários aposentados do Sistema devem tratar exclusiva e diretamente com o Fundo de Pensões. Nós entendemos que somos funcionários do Sistema, mesmo quando já não estamos mais ativos e muita informação e serviços poderiam e deveriam ser fornecidos por nossas próprias Agências (recursos humanos) ou pelo PNUD local.


O intercâmbio de ações e informações com as AFICS na região nos permitirá uma comparação que levaria a melhorias nos serviços que recebemos ou que poderíamos receber como aposentados do Sistema UN em cada um dos nossos países, tanto por parte do PNUD como Agência Coordenadora do Sistema, como de parte das nossas respectivas Agências.


No AEFNUP tivemos a motivação para estas consultas desde que, em certa medida, sentimos que os aposentados passam a ser uma condição tão diferente em muitos casos, não figura nos TORS dos colegas ativos atenderem aos aposentados, simplesmente somos dirigidos a Nova York, ou por "cortesia" nos fornecem algum suporte pontual (entrega de cheques, uso da mala regular do PNUD ou agências, etc). Uma vez que revisemos as informações que esperamos receber, veremos quão semelhantes são as práticas em nossa região, compartilharemos as reflexões que logremos alcançar neste tema de modo a alcançar eventualmente qualquer melhoria, se for o caso.


Mil gracias pela informação que possam compartilhar conosco.


Cordialmente,

 

Amalia \ Cuba \ Presidenta AEFNUP

 

Comentário da editoria do Boletim: esta consulta, oportuna, dá continuidade aos avanços alcançados nas reuniões regionais, que têm acontecido regularmente. A integração da região americana é extremamente útil para nossos interesses.


AJUDA DA AAFIB EM CASOS DE FALECIMENTO (Um Estudo de Caso)


Como se sabe, uma das funções da AAFIB é ajudar o associado quando ele enfrenta dificuldades para resolver seus tratos formais com o Fundo de Pensão ou o Plano de Saúde. Nem sempre se consegue um êxito completo, mas quase sempre se pode contribuir positivamente. Abaixo um exemplo recente: (o nome do associado/a foi omitido por desnecessário).


Assunto: Enc: Documentos assinados e enviados para o Fundo
De: Giovanni Quaglia <presidente.aafib@gmail.com>
Data: 29 de junho de 2018
Para: HOFER Christine <hofer@un.org; resom.redai@unjspf.org.

Dear Ms. Hofer and Mr. Resom, Subject: benefits for widow. Please find attached the complete set of documents sent by express courier to the Pension Fund that is expected to arrive in N.Y in a week.
This is just an advance copy to speed up the process. Please note that our member does not have an e-mail but use the one of her daughter. The Brazilian Association of Former International Civil Servants - AAFIB has helped the family in this difficult
moment.

From: Giovanni Quaglia <presidente.aafib@gmail.com>
Sent: Tuesday, July 24, 2018
To: O'DONNELL Maria Clarissa
Subject: Fwd: Documentos assinados para o Fundo

 

Comunicação recebida por Giovanni Quaglia sobre o caso solicitado: Dear Giovanni. It was a pleasure seeing you again. I checked the file as promised. I am very pleased to confirm that her case was released for payment today. As such, her June and July benefits should be paid at the end of this week. She should be on the regular monthly payroll starting next month. Thank you for following up on behalf of Ms. X.

Comunicação da AAFIB: Estimada (filha da associada)
Cumpro em comunicar que o recente caso de pensão encaminhado em favor de sua mãe, foi aprovado pelo Fundo de Pensão três semanas depois de recebida a documentação em NY. Os valores correspondentes aos meses passados serão depositados no final desta semana o mais tardar no início da próxima semana. A partir deste mês a cônjuge\viúva receberá o pagamento com regularidade no final
de cada mês.
Favor me confirme quando o dinheiro entrar na conta para eu agradecer à diretora das operações do Fundo, Maria Clarissa O’ Donnell, que encontrei em Roma, na Itália, durante a reunião do Conselho da FAFICS.


Atentamente,

 

Giovanni Quaglia, Presidente da AAFIB


Cada vez mais o Sistema FAFICS vem atuando como colaborador privilegiado do Fundo de Pensões, com acesso e participação na implementação dos serviços do Fundo. Diferentemente das funções sindicais, nosso Sistema opera em apoio às funções do Fundo, o que não significa abdicar da defesa dos interesses dos aposentados e muito ao contrário, estando dentro de setores do Fundo podemos
avaliar melhor os limites e especificidades de nossas demandas. E em contrapartida reforçamos a defesa do próprio Fundo frente a eventuais ameaças à sua consistência e sobrevivência.

ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS FUNCIONÁRIOS INTERNACIONAIS DO BRASIL (AAFIB)
ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

Ao terceiro dia do mês de agosto de dois mil e dezoito às nove horas e trinta minutos, na Sede do Centro de Informações das Nações Unidas (UNIC), situada à Rua Marechal Floriano, 196, no Centro – Rio de Janeiro em primeira convocação e às dez horas, em segunda convocação, nos termos do Estatuto, reuniram-se em Assembleia Geral Ordinária os associados da Associação dos Antigos Funcionários
Internacionais do Brasil (AAFIB) para deliberar sobre os itens constantes no Edital de Convocação.

 

O Presidente da Associação, Giovanni Quaglia, abriu a sessão, saudou os presentes e solicitou a indicação de um Presidente e de um Secretário para dirigir a Assembleia. Foram indicados para presidente João Carlos Alexim e para Secretária Arabela Rota. A seguir João Carlos Alexim deu início aos trabalhos com a leitura e aprovação da pauta:

 

1.Iinforme do Presidente AAFIB sobre sua participação na reunião da Federação das Associações dos Antigos Funcionários Internacionais (FAFICS), realizada em Roma/Itália, entre 20\25 de julho de 2018;

 

2.Prestação de contas de 01 de agosto de 2017 a 31 de julho de 2018;

 

3. Eleição dos membros da Diretoria; 4. Proposta de um Plano de Ação para o próximo período da nova Diretoria; 5.Outros assuntos. A partir da agenda aprovada pelos associados, o Presidente da Assembleia deu a palavra ao Presidente da Associação para apresentação do Item 1: Giovanni Quaglia apresentou uma visão geral da 47a reunião da Federação das Associações (FAFICS) e informou sobre o trabalho que as duas comissões, a de Pensões e a de Saúde, fizeram nos últimos doze meses. Informou também que a Federação conta agora com 63 Associações e 18.500 membros associados, enquanto os beneficiários do Fundo de Pensão são 78.000. A partir do dia 25 de Julho de 2018 a nova diretoria está composta pelo Presidente   Marco Breschi, que reside em Roma, o Tesoureiro Wolfang Milzow que reside em Genebra (Sede da FAFICS) e do Secretário Pierre Sayour, que reside em Paris, e mais sete Vice-Presidentes.

 

Comunicou que o Fundo de Pensão está em boa saúde financeira com um valor de mercado de US$ 64 bilhões e um desempenho real das inversões. A FAFICS entretanto alertou sobre os riscos que o Sistema das Associações e a Federação correm em relação a sua representação no Pension Board (Board do Fundo de Pensão) tendo em vista que, a pedido da Assembleia Geral da ONU o OIOS (Office of Internal Oversight Services - Auditoria Interna da ONU) preparou um relatório (ainda preliminar nos dias da reunião de Roma) onde recomenda que os 78.000 beneficiários do Fundo, que moram em 130 países, escolham diretamente seus representantes ao Board e não por via indireta como é feita hoje via Associações e FAFICS. Esse tema está ainda em discussão.

 

Giovanni Quaglia também informou sobre a proposta que a AAFIB enviou à FAFICS, intitulada After-Service Health Insurance (ASHI) coverage of locally recruited field staff by medical insurance plan (MIP) . Esta proposta visa mudar a situação atual dos participantes do MIP que tem uma cobertura de reembolso médico limitada de até 6 vezes o salário MIP de Referência. Uma nova Comissão Interagências será formada nos próximos meses em Genebra para estudar, entre outras questões de saúde e de "long term care", a proposta da AAFIB, agora com o apoio da FAFICS e a colaboração de todas as 63 AFICS. O CIGNA, que administra cerca de 70 % dos planos de saúde relacionados com o pessoal que trabalha fora das Sedes, e é contratado pelo MIP, será convidado também a participar. O trabalho desta nova Comissão pode durar 2-3 anos antes de concluir o seu relatório.

 

O associado Jacques Schwarzstein, eleito Secretário, sugeriu que a AAFIB junto com as Associações do Pessoal do PNUD,UNFPA,UIT. ONU Mulher, UNODC, UNOPS, e a Associação do UNICEF, que juntos representam cerca de 450 pessoas entre pessoal da ativa e aposentados, negocie com CIGNA um plano de saúde complementar para as condições do Brasil, e que este tema seja uma prioridade da Diretoria eleita. 


Item 2: Prestação de Contas de 01 de agosto de 2017 a 31 de julho de 2018. A então Tesoureira, Maria America Diniz Reis, informou que não poderia apresentar o quadro das receitas e despesas porque o equipamento existente do Centro de Documentação não estava disponível, mas que enviaria para todos os associados os documentos da prestação de contas e informou sobre os avanços e dificuldades para realizar a prestação de contas desde 2013 até 2018. Informou ainda que o monitoramento da conta bancária seria feito em Brasília, junto com o novo Tesoureiro já que ela estava encerrando sua participação no cargo. Após a apresentação de seu relatório e detalhes complementares feitos pelo Contador, as Contas foram aprovadas pela Assembleia Geral;


Item 3: Foi eleita a nova Diretoria para o período agosto 2018 a julho 2020 que será assim constituída: Presidente Giovanni Quaglia; Vice-Presidente João Carlos Alexim; Secretário, Jacques Schawarztein e Tesoureiro, Luiz Mauro Donato;


Item 4: A proposta do Plano de Ação para o próximo período foi enviada anteriormente para todos os associados e não requereu discussão na Assembleia. 


Item 5: Em Outros Assuntos foi aprovada uma moção concedendo o título de presidente honorário ao ex-presidente João Carlos Alexim e de tesoureira honorária a Maria America Diniz Reis, por contribuição excepcional à AAFIB. Foi também comunicado que o Conselho Fiscal mantinha a mesma composição vigente. Nada mais havendo a tratar encerrou-se a Assembleia Geral Ordinária às treze horas e

trinta minutos, sendo lavrada a presente Ata por mim, Arabela Rota e assinada pelo presidente da Assembleia.


Rio de Janeiro, 03 de agosto de 2018.


João Carlos Alexim (Presidente da AGO) Arabela Rota ( Secretária da AGO)


Anexo: Lista de associados presentes:
Albino Beloto ; Arabela Rota; Giovanni Quglia; Irena Maria N. do Nascimento;
Jacques Schwarzstein; João Carlos Alexim; Luciana Fornari ; Lucien Munoz;
Luiz Carlos Soares; Luiz Mauro Donato; Maria America Diniz Reis; Maria Helena
Cozzolino de Oliveira; Maria Tereza Baena ; Miguel A. Genovese; Perla Vaccaro ;
Vanderlei de Marque.

ANIVERSÁRIO DA AAFIB EM OUTUBRO (1987-2018)


31 anos da nossa Associação, um crescimento significativo do número de associados, um permanente relacionamento com as AFICS Regionais e sobretudo com a FAFICS constituindo uma rede robusta de defesa dos interesses dos aposentados e de promoção do congraçamento entre os associados. Anos de valorização cultural da experiência adquirida na prestação de serviço público internacional e preservação do orgulho de ter contribuído, dentro das atribuições e responsabilidades de cada funcionário, para a paz social, e o desenvolvimento das Nações em todo o mundo.

ATA DA REUNIÃO DO NÚCLEO DE BRASILIA (AAFIB\BRASÍLIA)

A reunião foi coordenada por Giovanni Quaglia, Presidente da AAFIB, que também contribuiu para a elaboração da ata junto com a colega Bernardeth Martins. Vários documentos, os quais se encontram em Anexo, foram distribuídos com
antecedência aos associados.


1- Relatório de Giovanni Quaglia sobre o Conselho da FAFICS:
1.1 Beneficiários.do.Fundo.de.Pensão
O Presidente da FAFICS informou que a Federação conta agora com 63 Associações e 18.500 membros associados, enquanto os beneficiários do Fundo de Pensões são 78.000 em nível global (24 % do total são associados à FAFICS). Foram apresentados os números dos beneficiários por países e por faixa etária (primeira vez que o Fundo disponibiliza esta informação). Uma simples análise dos números revela que cerca de 50% dos beneficiários vivem em 10 Países que abrigam sedes do Sistema ONU e escritórios regionais que tem, muitas vezes, problemas diferentes dos que vivem nos restantes 120 países (the field).


O Fundo de Pensão (UNJSPF) tem 127.000 participantes (pessoal na ativa) e 78.000 beneficiários (aposentados) numa relação de 1.60 entre quem contribui e quem recebe. No Brasil os beneficiários do Fundo de Pensão são 566 (0,8 % do total) e os Associados da AAFIB são 166, representando 29% do total no País.


1.2 Nova.Diretoria.da.FAFICS


A partir do dia 25 de Julho de 2018, a nova diretoria eleita da FAFICS está composta pelo Presidente Marco Breschi , o Tesoureiro Wolfang e do Secretario Pierre Sayour, mais sete vice-presidentes. Ficou acordado que na próxima reunião do Conselho da FAFICS, os sete Vice-Presidentes serão reduzidos a cinco e terão funções operacionais específicas.


1.3 Situação.Financeira.do.Fundo.de.Pensão..(UNJSPF)


O novo Representante do Secretário Geral (RSG) para Investimentos, Sudhir Rajkumar, apresentou um relatório que confirma a solidez financeira do Fundo. No final de Junho deste ano os ativos do Fundo eram avaliados em US$64 bilhões, um aumento de US$9.7bilhões no ano. Com este aumento, que foi o maior na história do Fundo, a taxa de retorno real em longo prazo de 3,5%, em dólares americanos, foi atingida. O RSG foi cuidadoso em admitir que o mercado financeiro é bastante volátil, podendo anular facilmente os ganhos obtidos de um ano para outro. O Conselho Conjunto de Pensões da ONU (Pension Board), no dia 03 de Agosto, emitiu uma nota confirmando que o Comitê de Auditoria observou que o Fundo é bem financiado e está em posição financeira e operacional estável. O atual CEO adjunto do Fundo, Paul Dooley, concordou em continuar até 31 de dezembro de 2018 no posto, e a Diretoria fez uma recomendação ao Secretário-Geral das Nações Unidas no que diz respeito à nomeação de um novo CEO adjunto. O CEO, Sergio Arvizu, está de licença médica desde Setembro 2017 e ainda não tem previsão de quando será seu retorno ao posto. 

 

1.4Estrutura de Governança do Pension Board


Na resolução 72/262 de Dezembro 2017, a Assembleia Geral da ONU pediu ao Escritório de Auditoria Interna da ONU (OIOS, em Inglês) para analisar o funcionamento do Pension Board e preparar um relatório. Na reunião entre os dias 26 de Julho e 03 de Agosto de 2018, realizada em Roma, o Pension Board revisou o relatório final do OIOS que continha uma série de recomendações que foram aceitas em sua maioria. A recomendação do OIOS, de que o Board deveria definir o número de assentos a serem alocados aos representantes dos aposentados e facilitar a eleição direta destes representantes como membros plenos do Board com direito a voto, foi muito discutida. O Board rejeitou essa recomendação porque ia quebrar a sua estrutura tripartida (Órgão de Gestão, Chefes Executivos, e Representantes dos participantes) e porque os aposentados não são mais afiliados à Organização de Origem. Em relação às eleições diretas, a FAFICS se posicionou contra e emitiu um alerta aos associados.


O Board apoiou a posição da FAFICS como única representante dos aposentados no Board (com direito a voz, mas não a voto) o que foi estabelecido no regulamento do Pension Board (Regra A. 9e). Não é função do Pension Board ou da Assembleia Geral interferir na forma como os representantes da FAFICS são eleitos, por via indireta, através das reuniões do Conselho da FAFICS pelas 63 AFICS. O Board concluiu pela rejeição dessa recomendação e decidiu que enviaria à Assembleia Geral uma contestação ao relatório. Esta questão tomou pelo menos 30% do tempo e energia da reunião da FAFICS em Roma, mas tivemos resultados.


1.5 Resumo da proposta da FAFICS para contenção de despesas do After-Service Health Insurance – ASHI (ver mais informações em outra parte deste Boletim) O ASHI é um beneficio oferecido aos aposentados do Sistema ONU que trabalharam pelo menos 10 anos na Organização. Caso o funcionário não tenha esses anos de trabalho, não terá um ASHI. As Agências tratam os seus funcionários e aposentados de formas diferentes. Como os gastos são superiores às contribuições, o ASHI está deficitário e a Assembleia Geral da ONU, na sua resolução A/RES/68/244, de Dezembro 2013, pediu que se encontrasse uma solução para que o ASHI fosse sustentável. Já tem alguma Agência da ONU que está aumentando as suas contribuições para ajudar a resolver o problema, mas a grande maioria não tem atuado como esperado. Várias propostas foram analisadas pelo Grupo de Trabalho Interagência, mas chegou-se ao consenso de adotar a fórmula proposta pela FAFICS, ou seja, aplicar um prêmio diferenciado a quem se aposenta precocemente.


A proposta da FAFICS preserva os direitos adquiridos e foi aprovada durante a reunião de Roma. Com isso, o grupo de trabalho será dissolvido quando o Secretário Geral da ONU apresentar o seu relatório à Assembleia Geral de 2018. As ações relativas ao ASHI e ao Long Term Care precisam continuar porque ainda tem muito trabalho pela frente. Para isso, nos próximos meses, está prevista a criação de um novo Grupo de Trabalho sobre Seguro de Saúde Interagência com representantes das Agências, da FAFICS e da Federação dos Funcionários Ativos.


A proposta da AAFIB-Brasil intitulada: "Cobertura dos seguros de saúde (ASHI) para aposentados recrutados localmente no plano de saúde médico MIP" será discutida nesse grupo.  Após longas discussões e face à necessidade de sustentabilidade do ASHI e do
ASHIL, o Comitê Permanente da FAFICS sobre Questões de Saúde concluiu que:


--O presidente (George Kutukdjian) e a vice-presidente (Katia Chestopalov) do Comitê Permanente deverão solicitar a todas as Associações (especialmente quem está no terreno) que forneçam informações sobre os problemas do MIP;


--O assunto deve ser submetido ao Grupo Interagência por ser uma questão que a FAFICS não pode tratar diretamente;


--Com prioridade devem ser identificadas formas de aprimorar a "cláusula de tratamento excepcional/catastrófico do MIP" e chamar a atenção sobre este assunto com as Agências da ONU que usam esse Plano. Isso inclui aspectos operacionais de como fazer isso acontecer quando uma parte está no campo e a administração do seguro em Nova York ou em outra sede.


2. Assembleia Geral da AAFIB no Rio de Janeiro (3 de Agosto de 2018)
Giovanni Quaglia chegou de sua missão a Roma diretamente para participar da Assembleia Geral da Associação onde se realizaria, de acordo com os Estatutos, a eleição da Diretoria para um novo período administrativo, de agosto 2018 a julho 2020. (Ver informações mais completas na Ata da Assembleia publicada em outra parte deste Boletim): Além de participar da eleição, Giovanni fez um relato sucinto sobre outras decisões adotadas na referida Assembleia, destacando alguns temas e aspectos:


2.1 Jacques Schwarzstein, eleito Secretário, sugeriu que a AAFIB, junto com a Associação do pessoal do PNUD, UNFPA, UIT, ONU Mulher, UNODC, UNOPS e a Associação do UNICEF, que representam cerca de 450 pessoas, entre ativos e aposentados, negocie com o CIGNA um plano de saúde complementar para as condições do Brasil, e que esse tema seja uma prioridade da Diretoria eleita.

2.2 Foi adotado o Plano de ação 2018-2019 divulgado no Boletim 125 (Julho-Setembro) com o título de “Tópicos da Agenda da AAFIB”.

2.3 A conta bancária da AAFIB será transferida e operada pelo novo tesoureiro e pelo presidente, ambos em Brasília. Para isso, será necessária uma atualização cadastral com reconhecimento de firmas no cartório (em andamento no Rio de Janeiro).


3. Treinamento digital em seguro de saúde na sede da OPAS/OMS em Brasília nos dias 18 e 19 de Setembro. Essa é uma iniciativa da AAFIB com apoio da Associação de Pessoal da OPAS/OMS. Os convites foram enviados a todos os associados de Brasília. Contamos com uma boa presença de aposentados e familiares que precisam conhecer bem as facilidades que a internet pode proporcionar.


4. Outros Assuntos de interesse geral


4.1 Foram informadas as novas regras do PNUD para serviços de correio ou POUCH.

 

4.2 Dando seguimento a sugestões feitas em reuniões anteriores, foi decidido organizar no início de cada reunião, uma pauta listando os assuntos que estão sendo tratados pelo Núcleo, com o relato do monitoramento de cada assunto. Foram indicadas algumas sugestões para essa pauta: 


A) Identificar pessoas que possam ajudar em casos de internação (por George Martine)
B) Organizar um fundo de emergência para imprevistos (por Ivo Steffen)
C) Conhecer melhor a questão de heranças (por Ivo Steffen)


4.3 O WhatsApp se revelou um instrumento muito útil para compartilhar informações de interesse do Núcleo de Brasília. Como o Presidente é o administrador do Grupo, quem estiver interessado em entrar deve enviar-lhe um e-mail pedindo a devida inclusão (presidente.aafib@gmail.com).


4.4 A próxima reunião do Núcleo AAFIB de Brasília está prevista para o dia 21 de novembro com a visita in loco ao Laboratório de Produtos Florestais, LPF. Tudo organizado pelo colega Celso Schenkel que enviará os convites a todos os associados de Brasília no inicio de novembro.


4.5 A festa de fim de ano está programada para sexta feira dia 23 de novembro na casa de Cintia Freitas no Lago Norte. Como de costume, todos contribuirão com um prato e bebidas à vontade. A Cintia vai coordenar esse evento com os que confirmarem a presença (aposentado(a) + um acompanhante) no final de outubro ou início de novembro.


4.6 Os 10 anexos a essa ata serão enviados por e-mail para quem confirmar interesse. Toda a informação estará disponível na página web da associação: www.aafib.net;


4.7 Fica registrado que todos os participantes apoiaram a sugestão de Jacques Schwarzstein, sobre a negociação com o CIGNA de um plano de saúde complementar para os funcionários e que esse tema seja uma prioridade da Diretoria eleita. 

 

Graça Campos ressaltou que o ideal seria aumentar o limite dos casos de internação.


Celso Schenkel sugeriu que o seguro deve complementar o que já está coberto no plano atual.


Cristina Montenegro propõe que seja formado um grupo de trabalho para relatar os casos já existentes.

 

Maria Helena Diogo lembrou que Patrícia, da OPAS, ficou de formar um grupo, mas que ainda não foi adiante com o assunto.


Giovanni Quaglia afirmou que o ideal seria formar um grupo de trabalho com os representantes de RH das Agências que têm interesse de trabalhar junto às Associações de Pessoal.


4.8 Novos Associados: 
O Núcleo de Brasília comunicou três novos associados, ex-funcionárias do PNUD, que preencheram a ficha de inscrição e pagaram a contribuição anual:
- Delourdes Tomaz dos Santos;

- Ely dos Santos de Souza;
- Celina Arraes;


4.9 Os participantes agradeceram ao Presidente pelo empenho e dedicação em manter os associados sempre atualizados em todos os assuntos. O Presidente agradeceu a George Martine e a Tânia Santos Dias pelo excelente trabalho de tradução dos documentos distribuídos. Foi distribuída a ata da reunião do dia 29 de Agosto para informação.

5.Participantes da reunião (23) e seus órgãos de origem:
Giovanni Quaglia, FAO\UNODC;

Teresa Chaves, PNUD;

Bernardeth Martins, OIT;
Maria Dulce Almeida, UNESCO; .

Júlio Suarez, OPAS/OMS;

Lucia Miller, PNUD;

Ivo Steffen, OIT;

Graça Campos, UNICEF;

Alfredo Costa, CEPAL;

Moira H. Lawrence, PNUD;

Márcia Prates, OIT;

Josélia Oliveira, OIT;

Tania Santos Dias, UNICEF;

Cintia Freitas, UNODC;

Eliane Ferreira, FAO;

Luiz Mauro Donato, UNICEF;

Maria Helena Diogo, PNUD;

Júnia Puglia, ONU MULHERES;

Celso Schenkel, UNESCO;

Cristina Montenegro, PNUD;

Adelina Paiva, PNUD;

Ely Sousa, PNUD;

Celina Arraes, PNUD;


Estará sendo enviada a Ata para os 51 associados do Núcleo. Para quem estiver interessado em receber os anexos podemos enviar em separado. Toda a documentação será postada na página web da Associação. Quem ainda não faz parte do WhatsApp (Solidariedade AAFIB) e tem interesse, deve comunicar seu número de celular à direção do Núcleo. É um instrumento útil e rápido para nos
manter conectados.


Agradeço a participação de todos,

 

Giovanni Quaglia Presidente AAFIB (2018-2020)
Data: 29 de Agosto de 2018 - Horário: das 10:30 às 12:30 horas
Local: Sala Luiz Carlos da Costa, Casa das Nações Unidas, Setor de Embaixadas
Norte, Quadra 802, Conj. C, Lote 17, Brasília –DF


AAFIB OFERECE TREINAMENTO PARA APOSENTADOS DE SETE AGÊNCIAS DA ONU


O Treinamento SHI-Online (Reembolsos Online dos Seguros de Saúde) e MSS
(Member Self-service) foi realizado nos dias 18 e 19 de setembro no auditório da
OPAS/OMS, em Brasília. Mais de 50 aposentados de sete agências da ONU
participaram do evento – OPAS/OMS, PNUD, UNODC, UNAIDS, OIT, FAO e UNICEF.
Além do apoio da OPAS/OMS, que recebeu muito bem a AAFIB, o treinamento teve
também colaboração da Associação de Pessoal do PNUD, UNFPA, ITU, UNIFEM, UNAIDS, UNODC,
UNDSS.


O objetivo foi a inclusão de todos os aposentados no mundo digital com prioridade à realização dos pedidos de reembolso online dos gastos com saúde e o acesso ao Member Self-service (MSS) do Fundo de Pensão. “O treinamento foi muito bem planejado em quatro blocos e executado em dois dias. Deu tempo para receber os participantes, dividir em grupos dependendo do grau de conhecimento, executar o treinamento em forma prática e, na tarde do segundo dia, dar uma atenção especial a quem tinha algum problema específico” -- observou Giovanni Quaglia, presidente da AAFIB.


FUTURO JÁ PRESENTE: A tendência é de disponibilizar toda a informação na internet e ter aplicativos que ajudem a resolver problemas rapidamente. “Fazer parte do mundo digital é uma necessidade para o aposentado não se sentir excluído da sociedade” -- afirma o presidente.


VANTAGENS: O sistema de pedidos de reembolso online é fácil de usar e permite receber o reembolso de gastos em uma semana, quando via correio demora um mês em média. Através do acesso ao MSS, o aposentado tem todas as informações específicas
disponíveis online. Entre elas, o status de recebimento do Certificate of Entitlement (Prova de Vida), formulários, pagamentos feitos pelo Fundo de Pensão, endereço para correspondência, etc... “É um tremendo avanço que beneficia cerca de 80.000 aposentados em 130 Países no mundo”, ressalta Giovanni Quaglia.


EM OUTRAS CIDADES O treinamento em Brasília foi uma experiência piloto com uma parceria financeira da AAFIB e da Associação do Pessoal do PNUD/UNFPA/ONU Mulher/UIT/UNOPS/UNODC e com apoio logístico da OPAS/OMS. “A AAFIB estará programando
um treinamento no início de 2019 para a cidade de Rio de Janeiro e São Paulo junto com Belo Horizonte”, adianta o presidente.
Para isso, um aspecto relevante do planejamento é de conseguir parcerias para financiar os custos do treinamento, tanto em espécie, como em apoio logístico.


Segundo o presidente, os Diretores do Núcleo AAFIB do Rio de Janeiro e São Paulo serão envolvidos no processo para ter o sucesso da operação. “O treinamento é um ótimo veículo para fortalecer os laços entre aposentados e a AAFIB, oferecendo serviços e melhorando a qualidade de vida de todos”, completa Giovanni Quaglia.


São válidos os agradecimentos a todos que colaboraram para a realização do treinamento, uma iniciativa pioneira. Mas especialmente cabe agradecer a Sumaya Garcia, que é colaboradora voluntária da AAFIB há muitos anos, gerente do nosso website e instrutora do treinamento.


Maiores informações e orientações poderão ser obtidas no website AAFIB.NET

ANIVERSÁRIO DAS NAÇÕES UNIDAS


Outubro é o mês de aniversário das Nações Unidas, são 73 anos desde sua criação na Conferência de São Francisco. A Carta das Nações Unidas foi assinada em junho de 1945 entrando em vigor em 24 de outubro daquele mesmo ano. Seu principal propósito é trabalhar pela paz de modo a não permitir que se repita um desastre de tamanhas proporções, como foi a Segunda Grande Guerra. Os seus objetivos incluem manter a segurança e a paz mundial, promover os direitos humanos, auxiliar no desenvolvimento econômico e no progresso social, proteger o meio ambiente e prover ajuda humanitária em casos de fome, desastres naturais e conflitos armados. O Brasil sempre dedicou especial apoio às Nações Unidas e tem em seu território quase todos os serviços do Sistema, além de colaborar nas ações dedicadas à paz como foi a intervenção no Haiti e em regiões da África. No Brasil,  o Sistema das Nações Unidas está
representado por agências especializadas, fundos e programas que desenvolvem suas atividades em função de seus mandatos específicos. A Equipe de País (conhecida por sua sigla em inglês, UNCT) está conformada pelos Representantes desses organismos, sob a liderança do Coordenador Residente. O UNCT é presidido pelo Coordenador Residente, posto normalmente ocupado pelo Representante Residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), e tem, entre suas principais funções, a missão de definir estratégias, coordenar o trabalho da Equipe e compartilhar informações entre todos seus participantes. A elaboração de iniciativas conjuntas entre os diversos escritórios, avaliar o trabalho da ONU no País e coordenar a ação dos diversos grupos
interagenciais, fazem também parte de sua missão.

Niky Fabiancic é coordenador-residente do Sistema Nações Unidas no Brasil e representante-residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) no Brasil desde 28 de outubro de 2015. UNIC-RIO: Em fevereiro de 1946, a Assembleia Geral da ONU
decidiu que fossem estabelecidos escritórios para que os povos de todo o mundo conhecessem, o mais detalhadamente possível, as atividades das Nações Unidas.


Para isso, foram criados os Centros de Informação das Nações Unidas (United Nations Information Centres, ou, na sigla em inglês, UNICs) que estão presentes hoje em mais de 60 países, em todo o  planeta, inclusive no Brasil. Maurizio Giuliano é o diretor do UNIC-Rio.

PANAFTOSA: Desde a sua inauguração, em 1951, o Centro Pan-americano mantém um corpo técnico de excelentes profissionais comprometidos com a erradicação da febre aftosa nas Américas e, mais recentemente, na prestação de cooperação técnica nas áreas de segurança dos alimentos e zoonoses. e as de zoonosis e inocuidade dos alimentos.

Queremos reconhecer e homenagear especialmente o UNIC-Rio, a mais antiga representação da ONU no Brasil, a Casa da ONU em Brasília e o Centro Regional da OMS\PAHO em Duque de Caxias, que têm hospedado a AAFIB e estimulado uma colaboração que esperamos se desenvolva nos próximos anos. Agradecemos a seus responsáveis pelo apoio e suas equipes, nossos futuros colegas no Fundo de Pensões. O Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (Panaftosa), centro científico da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), completou 67 anos de existência no Brasil no dia 29 de agosto de 2018. Localizado em Duque de Caxias, Rio de Janeiro, oferece cooperação técnica em saúde pública veterinária a todos os países membros da OPAS.

 

Esta cooperação traz o fortalecimento da estrutura dos serviços veterinários e de saúde pública em aspectos relacionados com a prevenção, com a detecção e alerta precoces, além da implementação de planos de contingência sobre doenças prioritárias animais que afetam a segurança alimentar, as zoonoses e as doenças transmitidas pelos alimentos. Além disso, a saúde pública veterinária integra e faz parte dos programas de atenção a emergências e desastres e daqueles que têm relação com o impacto de agentes contaminantes de origem biológica ou química na saúde pública e na saúde animal.

No setor da segurança alimentar, através de um trabalho coordenado por mais de 60 anos com os países e em acordo com o Governo do Brasil, a PANAFTOSA vem apoiando os esforços dos países da Região das Américas, para a erradicação continental da febre aftosa.
Recentemente, o centro científico estabeleceu termos de cooperação com a Secretaria de Vigilância Sanitária (SVS) do Ministério da Saúde para contribuir com o fortalecimento das ações de vigilância em saúde e na capacidade de gestão do SUS para a redução da morbimortalidade por enfermidades zoonóticas, de transmissão vetorial e de origem alimentar e hídrica.


Com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) foi estabelecido termo de cooperação também visando o fortalecimento das ações de vigilância sanitária no âmbito do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS) com fins de garantir a inocuidade dos alimentos. 


(panaftosa@paho.org; www.paho.org/panaftosa)

 

ANIVERSARIANTES OUTUBRO – DEZEMBRO

(Nossos cumprimentos)


OUTUBRO
02\10 Miguel Genovese \ BSB

04\10 Leko Waranabe \ SP
06\10 Tânia S Dias \ BSB

10\10 Carlos Ferreira \ BSB
16\10 Dyla Duarte Lima \ RJ

19\10 Antonio Carlos \ RJ
22\10 Teresa Terra \ BSB

26\10 Henri Jouval \ RJ
28\10 George Martine \ BSB

29\10 Hilda Gomez (Cerdeira) \ SP


NOVEMBRO
01\11 Marco Antonio Vieira \ RGS

03\11\ Maria Ligaya \ DF
04\11\ José Lourenço \ RJ

04\11 Cristina Montenegro \ BSB
09\11 Julio Manuel Suarez \ BSB

12\11 Sandra Valle \ BSB
18\11 Ítalo Danilo Frasquelli \ RS

22\11 Carlos Borio \ RJ
27\11 Creusa Rodrigues \ RS

27\11 Marcos Ramos \ RJ
27\11 Lília Souto \ BSB

29\11 Ralph Hakkert \ BSB


DEZEMBRO
01\12 Udo Bock \ SP

02\12 Georgina Pinto \ RJ
02\12 Vera Severo \ BSB

08\12 Carlos Plum \ RJ
14\12 Adely da Rocha \ RJ

19\12 Ivo Gomes \ RJ
19\12 Arabela Rota \ RJ

20\12 Antonio Martins \ RJ
22/12 Bernardo Brummer \ DF

25\12 Gilmario \ CE
26\12 Ely de Souza \ DF

26\12 Jorge Nassif \ SP
29\12 Perla Vaccaro \ RJ

30\12 Janes Souza \ RJ

 

Expediente


Giovanni Quaglia / Presidente \ presidente.aafib@gmail.com; coeditor do Boletim
João Carlos Alexim / Vice-presidente \ jc.alexim@gmail.com; editor do Boletim
Jacques Schwarzstein, / Secretário / jacquesaafib@gmail.com;
Luiz Mauro Donato / Tesoureiro / lm.donato@hotmail.com;
Diretor Núcleo Brasília: Ralph Hakkert \ ralph_hakkert@hotmail.com
Diretor Núcleo São Paulo: Udo Bock \ udobock@uol.com.br;
Gerente do Site (aafib.net): Sumaya Garcia


Sede da AAFIB: Av. Marechal Floriano 196 Palácio Itamaraty:
UNIC-Rio\ Centro\ Rio de Janeiro\ RJ \ CEP 20080-002.