BOLETIM AAFIB 121 - SETEMBRO / OUTUBRO 2017

Associação dos Antigos Funcionários Internacionais do Brasil                                                                      

(aafib.net)    Fundada em 1987       Afiliada à  FAFICS

Em fins de setembro se despede o inverno (inverno? Só no sul do país se pode provar desse gostinho europeu). Continuamos vivendo o improviso de um governo provisório, mas não será que o país sempre esteve no provisório, sempre esperando o prometido futuro?

Assembleia Ordinária Anual da AAFIB

A reunião teve lugar na sede do Centro de Informações das Nações Unidas (UNIC) e contou com a presença do presidente Giovanni Quaglia, que fez o relato de sua missão em Viena por ocasião do Conselho da FAFICS, nossa Federação. Foi editado um número extra do Boletim para complementar a apresentação de Giovanni.

Destacou que estiveram presentes 100 delegados representando 61 AFICS. Os participantes, funcionários da ativa, são 128.000 e os beneficiários são 74.800 dos quais 51.380 são aposentados, 12.200 sobreviventes, 9720 filhos dependentes, 1500 com algum problema de saúde.

A relação entre o número de participantes e beneficiários passou de 3.12 para 1.70 entre 1980 e 2017. A causa principal foi o envelhecimento populacional (AGEING) com um aumento de 600 % dos casos de beneficiários acima dos 90 anos de idade desde o ano 2000. A meta de rendimento ideal para o Fundo seria de 3,5%, mas, como o Fundo funciona segundo as leis do mercado, nos últimos quatro anos não foi atingida essa pontuação, além da perda cambial quando são vertidos seus rendimentos ao dólar.

 

O problema do atraso no pagamento das pensões para os novos aposentados, que vinha ocorrendo nos últimos três anos, está sendo corrigido, e a pensão já está sendo concedida no prazo de quinze dias, se os documentos exigidos das Organizações de origem estão corretos.

Foi ressaltada a dificuldade da aplicação dos procedimentos burocráticos em caso de falecimento do titular e a conveniência de contar com o apoio das associações regionais (AAFIB) para orientar os sobreviventes.

Sobre o Seguro de Saúde específico para aposentados (em Inglês ASHI - After Service Health Insurance) se destacou que tem estado deficitário e será necessário continuar com estudos para mudar as regras atuais para que este serviço seja sustentável no futuro.

O posicionamento da FAFICS nesta questão é de defender os direitos adquiridos dos atuais aposentados e de estabelecer novas regras para quem vai se aposentar no futuro. Giovanni encerrou ressaltando o trabalho da FAFICS, com poucos colaboradores e poucos recursos, e todos atuando como voluntários.

A apresentação de Giovanni suscitou enorme interesse e sugestões dos participantes, dando lugar a um animado bate-bola entre os participantes: América, a tesoureira, sugeriu uma mobilização para atrair novos sócios, a partir da análise de Giovanni sobre o número reduzido de membros (uns 150), comparando-se com os 500 aposentados que supostamente existem no país. Maria Helena sugere identificar a população atendida pelo Fundo e incentivar os representantes a fazer um briefing para os que vão se aposentar. Isso poderia ajudar na atração de novos sócios.

Maria Helena propôs também ativar o Grupo de Estudos sobre o Envelhecimento, considerando o destaque que o tema teve na reunião da FAFICS. Marianne lamentou a diferença entre os planos de saúde para o pessoal internacional e para os nacionais, e o baixo valor destinado para internação e UTI, tornando quase impossível um atendimento apropriado.

Giovanni prometeu estudar a possibilidade de contratar um plano de saúde complementar aos planos atuais fornecidos pelo ASHI através do CIGNA , Allianz etc. mais voltados à hospitalização. Os atuais limites anuais de R$90.000 oferecidos pelo ASHI aos aposentados que foram funcionários locais no Brasil é muito baixo para casos de saúde graves que requerem hospitalização. Os seguros complementares serão feitos individualmente, de acordo com as escolhas e perfil de cada cliente, mas o grupo será tratado como um "grupo de afinidade" de aposentados do sistema ONU para buscar descontos para os membros do grupo. Alexim sugeriu a criação de um Comitê de Saúde nos moldes do existente na FAFICS. Destacou que países do 1o mundo possuem um bom sistema público de saúde e por isso nossos colegas das sedes não têm consciência de nossa situação. Lembrou ainda que os funcionários nacionais e as viúvas têm maior dificuldade de entendimento das regras de assistência e em resposta foi levantada a conveniência de reeditar o manual elaborado no passado.

A primeira Prestação de Contas depois da formalização com a Receita Federal foi apresentada pela Tesoureira da AAFIB, América Ungaretti e pelo Contador Sr. Amorim, de forma muito clara e didática. Foi recomendada a aprovação da prestação de Contas pelo Conselho Fiscal e aprovada por todos os presentes.

A formalização permitiu conhecer a situação concreta do quadro de associados, verificando-se que o Núcleo de Brasília, mais recente, tem uma situação quase totalmente normalizada e o Núcleo de São Paulo tem feito um esforço reconhecido de integração, enquanto o Núcleo do Rio de Janeiro, com uma população mais antiga requer regularização de um bom número de associados. Ficou decidido o envio de uma carta personalizada alertando para a necessidade das contribuições como requisito para continuar como membro da AAFIB. E que dois anos de atraso na contribuição daria lugar à exclusão automática do associado.

Sobre a eleição do Conselho Fiscal, foram reconduzidos os titulares atuais, sendo eles: Paulo Cezar Pinto, Maria Etelvina Reis de Toledo Barros (Telva Barros), e o terceiro a ser indicado pelo Núcleo de Brasília.

Foi recomendada a distribuição de documento de Maria Helena sobre a pósOlímpiadas, elaborado para sua exposição em evento anterior.

América sugeriu a participação de representantes da AAFIB em eventos, chamando especialistas para fazer palestras e colaboração em projetos da ONU, entre outras coisas.

Foram analisadas as recomendações da AGO anterior e houve concordância sobre a atenção que havia sido dedicada pela diretoria aos temas inscritos.

Por último foram ouvidas várias sugestões para a Comemoração dos 30 Anos da AAFIB, que deve acontecer em outubro. Participantes da Assembleia na sede do UNIC-Rio

Prevenido Melhor que Remediado (Em caso de Falecimento)

O falecimento de um\a aposentado\a do Sistema das Nações Unidas costuma somar a dor pela perda de um ente querido com as dificuldades para regularizar a situação dos sobreviventes com o Fundo de Pensões. Para piorar, o Fundo tem demorado muito a processar os papéis necessários para regularizar a situação.

Então se mostra conveniente, para poupar problemas para quem vai herdar a pensão, o titular antecipar os documentos que serão necessários na ocasião de seu falecimento. É claro que isso só se refere aos documentos antecipáveis, não por exemplo à certidão de óbito.

O Fundo dá ao herdeiro ou herdeira da pensão um tratamento como se estivesse concedendo uma nova pensão. Por isso são importantes os documentos solicitados e além dos que são remetidos pelo titular da pensão outros documentos que a Organização de origem deve enviar ao Fundo. Portanto é importante avisar do falecimento ao RH da Organização.

Documentos que podem ser antecipados:

 

1) cópia da certidão de casamento;

2) cópia da certidão de nascimento do cônjuge;

3) cópia de documento de identidade nacional do cônjuge com retrato;

4) no caso de união não tradicional, cópia de documentos oficiais;

5) no caso de divorciados, cópia do documento\sentença oficial correspondente;

6) no caso de união estável, cópia do documento oficial correspondente;

7) se for o caso, cópia da sentença de adoção; cópia da certidão de nascimento de cada filho com idade inferior a 21 anos; cópia da certidão de nascimento dos filhos adotados; cópia da sentença de tutela; cópia do RG ou passaporte de filhos menores de 21 anos, se o pagamento for direto e outros documentos que possam ser solicitados pelo Fundo;

 

Na ocasião do falecimento:

 

8) comunicar o falecimento pelo e-mail do Fundo: deceased@unjspf.org

9) encaminhar a certidão de óbito;

Além da comunicação ao Fundo, o sobrevivente deve também comunicar o falecimento ao RH da respectiva Organização de origem, e sua intenção de seguir se beneficiando do Plano de Saúde.

Deve também verificar se o falecido tinha um Seguro de Vida e se a Organização ou o Plano de Saúde cobre os gastos com funeral.

E finalmente deve enviar ao Fundo de Pensão o formulário original de instruções de pagamento (FORM E/2) devidamente preenchido, datado e assinado pelo beneficiário. A assinatura do beneficiário deve ser testemunhada, verificada e certificada como autêntica por um oficial do Sistema ou autoridade oficial do país.

Não deixe de instruir seu cônjuge sobrevivente para comunicar-se com a AAFIB que poderá ajudar a atender aos requerimentos do Fundo e da Organização de origem. Informe ao viúvo ou viúva que pode e deve seguir associada\o à AAFIB.

Certificado de titularidade

Ainda estamos em pleno período de cumprir o dever anual do aposentado pensionista. Se algum membro da AAFIB ainda não recebeu e reenviou pelo correio a carta que atesta sua situação atual como vivente e habilitado à pensão do Fundo, deve comunicar-nos, embora ainda esteja dentro do tempo estabelecido para o atendimento da obrigação.

Quem está na via dólar pode ainda baixar o certificado CE no sítio self-service member, assinar e enviar por correio ou pouch ao UNJSPF em Nova York. Para quem está na Dupla Via este serviço só estará disponível no futuro.

 

A Dupla Via (para ter em conta)

 

O colega René Vossenaar, do Núcleo de Brasília, que deverá compor a Comissão Permanente de Pensões da AAFIB nos envia o presente texto em resposta à consulta de um associado:

É importante entender bem como o sistema "Two-Track" (Dupla Via) funciona.

O Fundo calcula o benefício de pensão em moeda local, multiplicando o valor em dólar na data de separação (aposentadoria) com a taxa média de câmbio da ONU de 36 meses da separação. Este valor do Local Track é ajustado a cada ano, a partir de 1º de abril, de acordo com o índice de preços ao consumidor (IPC) no país de residência. No Brasil, esse é o índice IPCA. O Fundo considera o movimento de dezembro a dezembro. É assim que funciona desde que o Local Track seja superior à Via Dólar. Eu acredito firmemente que meus aumentos anuais sempre foram calculados de forma justa.

Para certas pessoas, a pensão pode ser ajustada de forma algo diferente. Uma vez que o montante da Dupla Via pode ser inferior ao USD Track, em 2005 o UNJSPF apresentou uma garantia mínima para o Local Track. Este é o resultado do bom e árduo trabalho das Associações de Aposentados no passado.

Em cada trimestre, o Fundo compara o Local Track com o USD Track em moeda local à taxa de câmbio trimestral da ONU. Se o valor da Dupla Via for menor, um mínimo de 80% do equivalente do USD Track é pago (mas limitado a 110% do valor da Dupla Via). Isso parece ser relevante para os colegas terem se aposentado há algum tempo. Ambos os valores são apresentados na carta recebida do Fundo.

 

Conclusões:

 

Os valores da pensão em dupla via podem variar consideravelmente de um beneficiário para outro, em particular dependendo das datas de separação e de movimentos subsequentes nos índices CPI e taxas de câmbio. Isso pode introduzir um elemento de injustiça.

Caso o Local Track Amount seja superior ao USD Track Amount, os ajustes anuais dependem exclusivamente dos movimentos no CPI local. Se o Local Track Amount for menor, os ajustes anuais podem ser diferentes e também se beneficiar de ajustes no USD Track Amount, em moeda local (garantia mínima).

A Comunicação entre as AFICS

Talvez uma das novidades mais alentadoras seja o bom entendimento que se tem ampliado entre as AFICS e particularmente com as da região interamericana. Além da reunião anual, que tem sido realizada por internet e o estabelecimento de uma coordenação regional, atualmente com o Panamá, os boletins têm circulado com amplitude. Esses boletins, com nomes distintos, vêm melhorando crescentemente. Temos disponíveis para remeter aos associados mediante solicitação as revistas: Noticiero (Argentina); Nuestra Vida (Costa Rica); Newsletter (Austria); Bulletin (Genebra). Além disso as AFICS estão quase todas com páginas web e podem ser facilmente acessadas.

 

Campanha de Sócios

 

Na Reunião da FAFICS em Viena se destacou a conveniência de criar novas AFICS na região e aumentar o número de associados em cada AFICS\AAFIB. Na ocasião a AFICS Argentina lembrou que em 2016 foi realizada a experiência de envio de uma carta a todos os aposentados do país, assinada por uma autoridade do Fundo de Pensões, convidando-os para fazer parte da Associação e apresentando as vantagens dessa vinculação. Esta carta foi enviada num envelope do Fundo (semelhante à do CE). Como se sabe, a AAFIB não tem essa lista, mas o Fundo tem. O Fundo tem limitações de pessoal para estar fazendo este gesto cada ano, mas poderia talvez fazê-lo cada cinco anos. Há sugestão também para incluir nos procedimentos de ingresso uma pergunta ao aposentado sobre eventual interesse em participar da respectiva associação, ou um pedido de autorização para informar o seu endereço à Associação de seu país de residência.

COMO CONFIGURAR A CONTA DE "AUTOSSERVIÇO” DOS MEMBROS DO FUNDO DE PENSÃO DAS NAÇÕES UNIDAS

Esse processo é bastante simples e auto instrutivo.

 

Prepare-se:

 

Você vai precisar de seu nome, data de nascimento e o número UID de nove dígitos enviado para todos os participantes em abril e setembro de 2016, bem como uma conta de e-mail pessoal.

 

Registre-se:

 

Ingresse no website do Fundo de Pensão: https://www.unjspf.org/

Digite onde diz “self-service member” siga as instruções e defina sua identidade com as informações acima. Certifique-se de incluir todos os zeros quando você inserir seu UID. Escolha um nome de usuário e uma senha (existem instruções sobre os requisitos). Selecione três questões de segurança e insira as respostas. Registre o seu endereço de e-mail pessoal. Antes de pressionar a tecla "Submit" de enviar, sugerimos que você tire uma foto da tela ou copie as informações: nome de usuário, senha, perguntas e respostas de segurança e coloque isso em um lugar seguro e identificável onde você e sua família/consultores possam ter acesso. Pressionando o botão "Submit" você será encaminhado para entrar em sua conta pessoal.

 

Nota: Pode ser útil ver as etapas de vídeo no YouTube antes do registro para configurar sua conta.

 

REPRESENTAÇÃO DOS APOSENTADOS NAS COMISSÕES DE PENSÃO DAS ORGANIZAÇÕES

 

FAFICS apresentou uma proposta de alteração dos termos de referência das Comissões Especiais de Pensão (CEP) que toda Organização do Sistema deve possuir. Foi proposto corrigir a anomalia através da qual algumas CEP excluem a participação de aposentados, enquanto outras os incluem. O Conselho examinou a questão e aprovou a proposta da FAFICS. Consequentemente as regras e regulamentos proveem a representação de aposentados em todos os CEP, o que representa um avanço fundamental na atenção a esse segmento dos membros do Fundo.

 

UMA DECISÃO DE CONDUÇÃO (O Idoso ao Volante)

 

Em determinado momento, a maior parte das pessoas idosas encaram a decisão de manter ou de desistir da carteira de motorista. Um declínio nas habilidades exigidas para uma direção segura pode tornar perigoso o ato de dirigir. Também, algumas pessoas dirigem menos ao passo que envelhecem. Elas podem achar que manter um carro para ocasiões eventuais custa mais do que usar o transporte público. Mas desistir da carteira de motorista pode significar a perda de liberdade e independência. Algumas vezes, o médico de família ou um familiar percebe que é hora do motorista idoso entregar as chaves do carro. Lidar com essas questões é sempre difícil, mas ignorá-las pode trazer ainda mais problemas. Há alguns passos práticos que podem ajudar os motoristas idosos a se sentirem mais confortáveis no momento de desistir de dirigir:

 

Envolva o motorista na decisão de limitar ou parar de dirigir

Ajude-o a encontrar outras maneiras de sair

Pesquise sobre serviços de entrega e transporte

Certifique-se de que a pessoa tem como acudir as atividades habituais

Converse sobre as questões com o médico da família ou com um amigo

 

Dirigir envolve a execução precisa de tarefas simultâneas (como frear e dirigir). Essas tarefas requerem vários atributos, que podem estar comprometidos com a idade: Uma mente esclarecida; Atenção e foco mental; Tempo de reação rápida; Coordenação; Força adequada; Boa visão e audição; Bom julgamento; Variedade de movimentos da parte superior do corpo (tronco superior, ombros e pescoço).

Deficiências em qualquer um desses atributos pode afetar significativamente o desempenho da condução. Tais deficiências podem ser o resultado de várias causas. Virtualmente todos esses atributos são comprometidos em algum grau com o passar da idade.

O envelhecimento em si normalmente resulta em um declínio gradual e sutil da força, coordenação, tempo de reação, capacidade de concentração e audição. Os idosos podem ter menos resistência e se cansar mais rapidamente, em especial em situações que requerem concentração. Também menos capazes de focar em mais de uma tarefa ao mesmo tempo. Contudo, a maior parte das alterações atribuídas ao envelhecimento são modestas e frequentemente não são a razão principal para problemas de segurança na condução.

 

Raimundo Grossi site “Idosos só acima de 70 anos que requerem viver bem”

 

CONCURSO DE FOTOGRAFIAS DA AFICS ARGENTINA

O tema do concurso este ano será A NATUREZA. Entre fotos dos nossos parceiros, parentes e amigos, bem como membros das associações--irmãs de outros países, serão selecionadas as que ilustrarão as páginas de abertura e de notícias do boletim NOTICIERO AFICS de 2018.

As fotos restantes também serão expostas nas páginas desse boletim. Todas serão exibidas no website da AFICS durante o ano de 2018.

INSTRUCCIONES PARA PARTICIPAR

Enviar una foto colorida (só uma por participante) com resolução de 300 dpi, em jpeg ou tiff a argentina.afics@gmail.com, junto com um título identificador: nome do\a concorrente, lugar, data e hora de tomada da foto.

O Jure estará integrado por 3 fotógrafos de reconhecida trajetória, coordenado pelas editoras do Noticiero, Isabel Narvaiz Kantor y Caty Iannello. Recepção de fotografías: até 20 de dezembro de 2017.

Envio de resultados da seleção: 30 de janeiro 2018. E anos passados nossa colega Marianne Schwendl foi premiada em concurso semelhante, mas de pinturas.

 

ANIVERSARIANTES DO MÊS (Nossos cumprimentos)

 

SETEMBRO

05\09 Celio da Cunha BSB

10\09 Maria Helena Diogo BSB

12\09 Nilda Xavier RJ

16\09 Jeanne Marie Claire Sawaya BSB

25\09 Regia Fernanda G M Freire BSB

30\09 Fabio Mello NE

 

OUTUBRO

02\10 Miguel Genovese BSB

04\10 Leko Waranabe SP

06\10 Tânia Santos Dias BSB

10\10 Carlos Ferreira de Abreu Castro BSB

19\10 Antonio Carlos Ferraz das Chagas RJ

22\10 Teresa Terra BSB

26\10 Henri Eugene Jouval Jr RJ

28\10 George Martine BSB

29\10 Hilda Alicia Gomez (Cerdeira) SP

 

Expediente

Giovanni Quaglia / Presidente \ presidente.aafib@gmail.com; coeditor do Boletim

João Carlos Alexim / Vice-presidente \ jc.alexim@gmail.com; editor do Boletim

Antonio Celso Zangelmi / Vice-presidente \celsozangelmi2@gmail.com;

Maria America Diniz Reis / Tesoureira e diretora Núcleo RJ \ dinizreismaria@gmail.com;

Arabela Pereira Estrela Rota \ Secretária / arabelarota@uol.com.br;

Diretor Núcleo Brasília: Ralph Hakkert \ ralph_hakkert@hotmail.com

Diretor Núcleo São Paulo: Udo Bock udobock@uol.com.br;

Gerente do Site (aafib.net): Sumaya Garcia

 

Sede da AAFIB: Av. Marechal Floriano 196 Palácio Itamaraty: UNIC-Rio\ Centro\ Rio de Janeiro\ RJ \ CEP 20080-002.