BOLETIM AAFIB 120 - JULHO / AGOSTO 2017

Associação dos Antigos Funcionários Internacionais do Brasil                                                                      

(aafib.net)    Fundada em 1987       Afiliada à  FAFICS

 

 

Dizer que passamos momentos difíceis já soa como lugar-comum. Mas quando esse sentimento se arrasta no tempo a sensação é de um gosto amargo na boca. Abrimos o jornal diariamente e sentimos ameaça por todo lado. Os planos de saúde

falam em aumentos expressivos, mas não abrem mão de seus lucros também expressivos. A violência se tornou endêmica. A corrupção não tem limites. Os políticos perdem o respeito pelos seus mandatos. O desemprego alcança a maioria das famílias no país, difícil encontrar uma em que essa enfermidade não esteja incomodando. Mesmo com a notória falta de dinheiro em circulação os governos

falam em aumento de impostos. A prefeitura sonha com isso, inclusive e sobretudo no IPTU, que atinge em cheio a classe média. O cenário é sombrio e não se enxerga ainda uma luz no fim do túnel.

.

Entretanto, na circunstância de receber suas pensões de um contexto externo, os aposentados das Nações Unidas podem se considerar em parte privilegiados. Mas na qualidade de consumidores dentro do país acabam sofrendo os mesmos desgastes. E não é nada simples estar bem, ao lado de amigos e parentes passando dificuldades.

OS CERTIFICADOS DE TITULARIDADE ESTÃO CHEGANDO

Muitos colegas têm notificado à AAFIB o recebimento desse importante documento. Apesar disso, os que ainda

não receberam não precisam ficar preocupados, há tempo de sobre para cumprir esse dever anual. Mas devem ficar

atentos e aguardar pelo menos até agosto. E sempre terão a AAFIB para lhes ajudar quando for necessário.

Como se sabe, todo beneficiário deverá devolver ao FUNDO a carta CE (com código de barras) devidamente assinada em tinta azul. O Fundo não aceita cópias, faxes ou arquivos anexos a correio eletrônico no lugar da forma impressa com assinatura ORIGINAL do beneficiário.

Será preciso enviar a carta de volta ao Fundo\UNJSPF até 15 de setembro de 2017. Caso contrário, num grande esforço para evitar a suspensão do benefício, um segundo código de barras CE será despachado no final de setembro para todo beneficiário para quem o rastreador de CE do Fundo não tenha registrado recebimento. Finalmente, se a resposta não alcançar o Fundo em 31 de dezembro de 2017, o pagamento do benefício poderá ser suspenso.

Reunião do Núcleo de Brasília

A Reunião do Núcleo AAFIB\Brasília foi realizada como programado em 28 de junho na sala Luiz Carlos da Costa na Casa da ONU e contou com 19 participantes. 

O destaque do encontro ficou por conta da palestra da Representante Interina da UNESCO no Brasil, Marlova Noleto que dissertou sobre “Educação para as pessoas e para o Planeta \Criar futuros sustentáveis para todos”.

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) reúnem agendas de desenvolvimento e de meio ambiente (Rio 1992). São 17 objetivos com 169 metas, adotados por Estados--Membros da ONU em 2015 a serem alcançados até 2030.

Para a UNESCO resulta em assegurar a educação inclusiva e equitativa de qualidade e promover oportunidades de aprendizado ao longo da vida para todos.

Um objetivo com 10 metas.

A Educação para o Desenvolvimento Sustentável EDS permite aos educandos tomar decisões informadas e ações responsáveis pela integridade ambiental, viabilidade econômica e uma sociedade justa, para as gerações presentes e futuras, respeitando a diversidade cultural. Trata-se de aprendizagem ao longo da vida, e é parte integrante da educação de qualidade. A EDS é uma educação holística e

transformadora que aborda o conteúdo e os resultados da aprendizagem, a pedagogia e o ambiente de aprendizagem.

FESTIVAL MEDIEVAL BRASIL – FMB

Foi apresentado aos associados o Festival Medieval como evento cultural que tem foco em atividades educacionais, esportivas e artísticas. Referência nacional no segmento - e em toda América Latina - o festival é totalmente interativo e voltado às crianças,

jovens e adultos de todas as idades. Centenas de artistas e atletas apresentam-se em palcos simultâneos, com variadas performances. O FMB conta com significativa participação do setor privado e de diferentes setores governamentais, universidades e

representações diplomáticas.

Pela primeira vez este evento vai acontecer em Brasília entre os dias 07 e 10 de Setembro de 2017.

REDE DE MENTORES

Diretora da First Aid Foundation no Brasil e representante da aceleradora de startups Techmall, apresentou as respectivas

empresas nas quais trabalha, detalhando sobre as atividades da aceleradora de startups, sobre os programas de pré

aceleração e aceleração que proporcionam a inserção de empresas nascentes (startups), de base tecnológica ou com

modelos de negócios inovadores no mercado.

Descreveu como tem sido atuar com as startups, sobre como este modelo de negócio irá predominar nos próximos anos,

dentro do contexto de evolução tecnológica exponencial. Falou ainda sobre a importância de apoiarmos as startups, considerando que o

empreendedorismo é uma das saídas frente à extinção iminente de muitas profissões, principalmente as startups que geram impacto social. Lembrando que o empreendedorismo social ainda é um campo cheio de desafios e complexidades e

também territórios onde empreendedores estão testando e validando hipóteses. E que por isso necessitam de apoio de diversas instituições para se inserirem no mercado, por meio de programas de incentivo, captação de investimentos, programas de pré e

aceleração de impacto social e também de mentoria, realizada por profissionais com grande conhecimento nos problemas sociais e em desenvolvimento sustentável. Mariana mencionou que, em função da sua formação, missão pessoal e atuação profissional, pretende promover a conexão das startups de impacto social, com mentores e demais intuições de fomento e aceleração, e convidou os membros

da AAFIB para fazerem parte da Rede de Mentores de Impacto. Também se colocou à disposição de todos os presentes na reunião para futuros contatos e para apoiar a AAFIB dentro de suas expertises.

Com Mariana a AAFIB vai explorar caminhos para que jovens empresários talentosos possam contribuir a resolver vários problemas que surgem com a idade avançada. No ano 2030 o mundo terá um 1.3 bilhões de pessoas com mais de 60 anos de idade e no

ano 2050 seremos 1.5 bilhões representando cerca de 20% da população mundial. O desafio está em encontrar meios para que o programa de mentoring seja uma mão de via dupla.

 

CERTIFICADOS DE TITULARIDADE

Foi comentado que os documentos já estão chegando e por segurança é aconselhável assinar e depois retorná-lo ao Fundo de Pensão via POUCH do PNUD em Brasília. Caso alguém não tenha recebido o documento antes do final de Julho deve informar à

Associação via WhatsAPP.

TEMA DA REUNIÃO DO DIA 04 DE OUTUBRO 2017

O Presidente da AAFIB fará um debriefing de sua missão a Viena para participar da reunião da FAFICS entre os dias 17 e 20 de Julho.

Caso a participação do Coordenador Residente do Sistema das Nações Unidas no Brasil seja confirmada o tema da reunião incluirá uma fala do Sr. Niki Fabiancic. A reunião foi encerrada às 13,15hs seguida por um habitual almoço de confraternização no restaurante "Farol" do Iate Clube.

CARTA ANUAL DO FUNDO (Fragmentos)

Caro UNJSPF participantes, aposentados e beneficiários. Em 2016 houve uma série de desenvolvimentos positivos no Fundo. Primeiro e acima de tudo, o Fundo com sucesso fez uma transição com um velho fragmentado e vulnerável ambiente operacional para operar com uma plataforma flexível e moderna. O Fundo está agora processando 75‐80% de todos os casos que ele recebe (com documentação

precisa e completa) dentro do mesmo mês. Espera-se que esta excelente taxa continue e gradualmente até melhore.

A nova plataforma também elimina os riscos associados com a fragmentação e a obsolescência do sistema antigo. Além disso, o novo sistema aumenta a capacidade de processamento do Fundo e assegura a viabilidade de suas operações nas

próximas décadas.

A capacidade adicional em conjunto com a adoção de uma abordagem ágil permitiu ao Fundo lidar com o aumento significativo do número de separações, vindas principalmente da manutenção da paz, e também permitiu o lançamento de uma série de iniciativas de serviço ao cliente.

Em 2016, o Fundo criou um Call Center piloto em Nova York, totalmente operacional desde outubro prestando serviço de 12‐horas ao dia e respondendo a mais de 80% das chamadas ou mais de 90% das chamadas considerando retornos. Em 2016, o Fundo lançou um "painel" através de seu sistema de Self‐Service (que tem mais de 71.000 usuários hoje) que permite que os participantes no processo

de separação monitorar para si o status de seu caso, incluindo quando a documentação necessária de separação (dele e do seu empregador) alcançou o Fundo, e se esta documentação está completa e correta. Em breve, o Fundo vai lançar um website totalmente novo, abrangente e fácil de usar, além de uma série de vídeos de "how‐to whiteboard” inovador e divertido.

Esses vídeos serão adicionados ao site e à página do YouTube do fundo entre maio e junho de 2017. Todas estas atividades e iniciativas representam os pilares do novo serviço. O Fundo vai continuar a disponibilizar informações através de um boletim periódico, seu site e pela organização de seminários e reuniões-livres com os participantes, aposentados, beneficiários e organizações parceiras.

 

Posição atuarial do Fundo

Avaliações atuariais do Fundo são realizadas a cada dois anos para determinar se os ativos presentes e estimados futuros serão suficientes para satisfazer o suas obrigações presentes e futuras, usando vários conjuntos de suposições quanto à

evolução econômica e demográfica. A mais recente avaliação do Fundo foi realizada em 31 de dezembro de 2015, com os resultados apresentados ao Conselho de Pensão em julho 2016.

Os resultados dessa avaliação revelaram um pequeno excedente de 0,16% da remuneração pensionável. Isto significa que o nível das contribuições recebidas pelo Fundo, de participantes e organizações participantes, são ligeiramente melhores do que o que é necessário para manter um equilíbrio entre o dinheiro entrando e saindo em uma base de longo prazo. Na verdade, esta é a terceira

avaliação onde os resultados mostram uma tendência positiva, que eliminou o défice relatado no passado.

Espera-se que os resultados da avaliação atuarial Bienal irão variar devido à volatilidade dos mercados financeiros e outros ganhos ou perdas relacionadas com demográfica experiência diferente do que o que é assumido.

É ainda de notar que a Consultoria Atuarial, a Comissão de Atuariais, o Comité de Acompanhamento de Responsabilidades e Ativos, o Conselho de Pensão e a Assembleia Geral, todos acompanham de perto o status financeiro do Fundo.

As taxas de financiamento são comparações dos ativos do Fundo com o valor dos benefícios acumulados (obrigações) na data determinada da avaliação. Em relação às suas obrigações em 31 de dezembro de 2015, o Fundo se encontra em uma

posição forte de capitalização.

A respeito do terceiro estudo sobre gestão de ativos e passivos conduzido em 2015, se conclui que, em geral, o Fundo deverá continuar a ser bem financiado por toda a projeção dos próximos 30‐anos sob qualquer das alocações de ativos estratégicos que estudou e que a atual taxa de contribuição de 23,7% deverá ser suficiente para cobrir as necessidades.

Entretanto, o objetivo de alcançar uma taxa real de retorno do investimento de 3,5% é a mais importante variável (por uma margem considerável sobre qualquer outra variável) para manter o status de capitalização saudável do Fundo.

 

Investimentos do Fundo: resultados para o ano civil de 2016 

O valor de mercado dos ativos do fundo foi de USD 54432 milhões em 31 de dezembro de 2016. Comparado a 31 de dezembro de 2015, quando o valor de mercado final foi relatado como USD 52114 milhões, os ativos do Fundo representam um aumento de USD 2318 milhões. O Fundo relatou a taxa nominal de retorno de 5,2% e após o ajuste para o índice de preços ao consumidor (CPI)

dos Estados Unidos, informou a taxa real de retorno como 3,1%.

Questões importantes a ser consideradas pelo Conselho de Pensão em 2017:

Como de costume nos anos ímpar, o foco do Conselho em 2017 será sobre a proposta de orçamento para o biênio 2018‐2019. Itens adicionais que serão abordados pelo Conselho incluirão a proposta de orçamento para uso na avaliação atuarial de 31 de dezembro de 2017, o resultado da análise dos processos de separação, e a revisão independente das operações de investimentos do Fundo,

bem como muitos outros temas abrangendo a governança, administração e assuntos de prestação de benefícios. O desenvolvimento destas questões será informado na próxima carta anual, bem como nas correspondentes decisões tomadas pelo Conselho de Pensão e Assembleia Geral.

(A carta pode ser lida na forma integral no website do Fundo) O CEO do Fundo em audiência com o SG Guterres

Conselho da FAFICS

Contribuições Propostas pela AFICS Argentina para discussão

Fundo de Pensão e Comunicações

 

Considera-se necessário reforçar as comunicações com o Fundo\UNJSPF em mais idiomas e de uma forma mais amigável, ou seja:

a)Nas instruções para obter o UID b)No uso do MSS Também é necessário resolver a situação de muitos pensionistas sem acesso à

internet, a falta de competências linguísticas, ou dificuldade em seguir os passos para se conectar com o Fundo.

É importante explorar maneiras de colaborar com traduções. Temos a certeza de que outras associações na região da América Latina estão também dispostas a oferecer sua colaboração possível para facilitar o acesso às instruções ou guias em espanhol/português.

A introdução do call center é auspiciosa, especialmente se ele estiver habilitado em idiomas diferentes do inglês.

Pedimos também para a divulgação de documentos do Fundo destinados aos aposentados, através do site do Fundo, em idiomas diferentes do inglês.

A possibilidade de estabelecer escritórios regionais é muito bem-vinda. As Associações devem oferecer toda colaboração no que pode ser útil para a melhor assistência e comunicação com os aposentados na região latino-americana através desses escritórios regionais.

Reafirma-se a conveniência do Fundo continuar a enviar para nossas associações, a lista dos aposentados de quem o Fundo não recebeu de volta o certificado de sobrevivência (CE), a fim de colaborar neste aspecto. A lista pode incluir dados

adicionais para facilitar a sua localização: endereço e agência onde tinham trabalhado.

Reforço das Associações existentes e promoção de novos membros da FAFICS na Região

O objetivo é incorporar todos os aposentados e pensionistas residentes no país de nossas associações, em benefício de todos. Para esse fim, recomenda-se nova edição de cartas-convite elaboradas e assinadas pela associação e distribuídas pelo Fundo de Pensão (oficial sênior de comunicações) com base na lista de beneficiários residentes em cada país. Essa medida já resultou em importante

ajuda às associações no passado e muito se aprecia e se espera que possa ser continuada.

Seguro de saúde (ASHI) e serviços nacionais de saúde

 

Reitera-se a necessidade de uma gestão adequada dos seguros de saúde dos aposentados (ASHI) para que não se coloque sobre os beneficiários a responsabilidade económica para cobrir os défices e enfatizar o respeito pelos princípios de solidariedade do seguro de saúde e os direitos adquiridos dos aposentados. O grupo de trabalho (HLCM FB \ grupo de trabalho sobre ASHI) comunicou-se com os Estados-Membros por meio de uma pesquisa. Com relação a este inquérito solicita-se, se possível, conhecer os relatórios recebidos dos países, para que a associação de cada país envolvido possa analisar o relatório e dar a sua opinião, para o conhecimento do grupo de trabalho e o Comité.

 

Estará a ONU desistindo de Trump? (Resumido, ver completo no website)

Por Richard Gowan

Pode Guterres assustar Trump para que ele tome as Nações Unidas a sério? A ONU está perdendo a esperança de influenciar o presidente Trump e em vez disso está ameaçando ativar o plano B.

Desde que tomou posse em Janeiro, o secretário-geral da ONU tem feito seu melhor esforço para construir uma relação de trabalho decente com a nova administração. Ele manteve em nível baixo as críticas à agenda nacionalista da Casa Branca.

Enquanto suplica a Washington para abster-se de cortes profundos no orçamento da ONU, ele trabalha assiduamente para construir um relacionamento com a embaixadora dos Estados Unidos, Nikki Haley, que pode ser-lhe útil. 

Recentemente Guterres ensaiou uma nova mensagem: Trump estaria entregando o mundo à China. O secretário-geral tentou essa linha pela primeira vez no final de maio. Falando na véspera da decisão do Presidente Trump de se retirar do acordo de mudança climática de Paris, ele advertiu que se o EUA criar um "vácuo geoestratégico" pode estar doando seu papel global: "Eu garanto que outra pessoa

vai ocupá-lo”. Ele claramente indicou que esta figura seria Pequim.

Guterres construiu uma metáfora de vácuo em uma conferência de imprensa, mas com viés pró-americano. "Não acho que isso seja bom para os Estados Unidos, e não acho que isso seria bom para o mundo". Muitos especialistas têm destacado em

termos muito mais gritantes como a China está se beneficiando da confusão da política externa de Trump.

O EUA permanece principal financiador da Organização. Washington tem sido viral com secretários-gerais anteriores que criticaram suas políticas, como Kofi Annan sobre o Iraque.

Guterres tem uma base política muito ampla, com fortes ligações pessoais com os líderes na África e América Latina, bem como a Europa, prefere trabalhar tranquilamente atrás de portas fechadas, e evita desavenças com os EUA sempre que possível.

Mas nem mesmo um diplomata astuto como Guterres poderia seguir lutando indefinidamente contra a administração Trump. Como ele agora deve estar ciente, nem uma sólida relação de trabalho com Haley pode proteger-lhe e à ONU de caprichos e explosões do Presidente. Guterres também tem procurado aliados em outros lugares para fazer um backup da ONU se seus esforços para manter o EUA falharem. Ele conheceu Emmanuel Macron dias antes da eleição do presidente francês e tem dedicado tempo para consolidar relações com os adeptos tradicionais da ONU na União Europeia. O relacionamento mais significativo do secretário-geral fora dos Estados Unidos, no entanto, em última análise, será com a China.

Isso não significa que Guterres esteja planejando facilitar uma ocupação chinesa da ONU. Por enquanto, ele está em grande parte insinuando a possibilidade de Pequim preencher o vácuo geoestratégico apenas na tentativa de persuadir os Estados Unidos a

voltar atrás. É improvável conseguir muita audiência de Trump, mas ele tem algum acesso a figuras republicanas no Congresso através de Haley. A curto prazo, Guterres espera poder convencer o Congresso para reverter alguns dos cortes viciosos ao

financiamento americano da ONU estabelecidos no orçamento do governo para 2018.

Se Guterres acenar com uma China mais próxima, Trump sem dúvida vai alegar que isto prova que a ONU teve uma agenda antiamericana desde o começo. Mas a administração deve ouvir atentamente o que diz o secretário-geral. Ele quer manter vivo

o poder dos EUA na ONU. Mas se tal se revelar impossível, ele tem que ter um plano B que pode ser Pequim.

 

* Richard Gowan mora em New York e é fellow junto ao European Council on Foreign Relations, e ensina na Columbia University's School of International and Public Affairs.

ADEUS AO ALZHEIMER simples e eficaz

 

Essa terrível doença provoca graves danos cerebrais nos seres humanos. Os idosos são as vítimas preferenciais. Faz a pessoa perder a memória e não poder ter mais sentimentos de prazer e alegria, sem o controle de seus próprios corpos. O paciente perde a consciência por suas ações, e sua própria identidade, porque ele já não pode mais reconhecer-se. Perde o caráter, a vontade e o poder de decisão e

precisará dos outros para controlar a sua própria vida. Também não pode reconhecer seus amigos e familiares, e até mesmo seus próprios filhos.

Mas a doença de Alzheimer pode ser evitada ou amenizada, simplesmente mudando de mão ao escovar os dentes.

Ou seja, ao mudar algumas rotinas, leva-se à estimulação das forças do cérebro direito. Esta é uma nova técnica para melhorar a concentração, desenvolver a criatividade e a inteligência, realizando estes simples exercícios de neuróbica.

Uma descoberta da Neurociência revela que o cérebro tem uma capacidade extraordinária de crescer e mudar o padrão de suas conexões.

Os autores desta descoberta, Lawrence Katz e Manning Rubin (2000), revelam que a neuróbica, ou "neurônios aeróbicos" é uma nova forma de exercício cerebral, projetada para manter o cérebro ágil e saudável, criando novos e diferentes padrões de comportamento, e as atividades dos neurônios em seu cérebro.

Cerca de 80% de nossa vida diária é ocupado por rotinas que, apesar de ter a vantagem de reduzir o esforço, escondem um efeito perverso: limitam e atrofiam o cérebro, não permitindo a renovação e crescimento dos neurônios.

Para contrariar esta tendência, é necessário praticar alguns "exercícios para o cérebro" que fazem a pessoa pensar apenas no que você está fazendo, concentrando-se na tarefa. O desafio da neuróbica consta de fazer tudo ao contrário da rotina, forçando o cérebro a um trabalho adicional. 

 

Alguns dos exercícios para desenvolver:

- Use o relógio na mão oposta à normalmente utilizada.

- Escove os dentes com a mão oposta.

- Caminhe ao redor da casa de volta, ao contrário do que na ida (na China, esta rotina é praticada em parques).

- Vista-se com os olhos fechados.

- Incentive o paladar com as coisas em diferentes sabores.

- Veja fotos de cabeça para baixo (ou fotos, ou você).

- Verifique o tempo no espelho (olhe o relógio pelo espelho).

- Altere a forma de rotina (itinerário) para ir e voltar para casa.

- Você pode fazer muitas outros exercícios neuróbicos, dependendo de sua própria

imaginação.

A ideia é mudar a rotina de comportamento. Vale a pena tentar!

(da Internet, sem identificação de autor)

 

Assembleia da AAFIB \ 2017

A Assembleia anual será realizada em agosto e deverá ser convocada com 15

dias de antecedência e a definição da agenda. O ponto alto da reunião será o

depoimento de Giovanni Quaglia sobre o Conselho da FAFICS em que ele

participa neste mês de julho na Áustria.

Livros recomendados:

O Poder dos Quietos

 

Psicóloga norte-americana, introvertida ela mesma, Susan Cain usa um recurso para falar em público, ela adota um personagem para essas situações. Susan acredita que as mentes mais criativas sejam introvertidas. Produzir trabalho mais

profundo e origina requer maior concentração, mais fácil para os introvertidos.

Extrovertidos são mais de aproveitar o momento, Mas, segundo ela, numa sociedade que tem uma cultura econômica que encoraja as pessoas a correr tantos riscos, os dois tipos são necessários. Timidez, em oposição a introversão, tem a ver com o julgamento social negativo, tem a ver com a preocupação excessiva do que os outros pensam. A introversão é a opção pela quietude, por menos estímulos. A timidez é desconfortável, a introversão não. É possível ser introvertido sem ter esses medos, e também ser extrovertido e tímido. Na prática, entretanto, muitos introvertidos são também tímidos, mas não necessariamente.

 

Ridículo Político

 

A filósofa Marcia Tiburi investiga nesse livro como os brasileiros preferem a piada ao lidar com o recentes acontecimentos políticos nacionais. Ela acha que o ridículo está em algum lugar entre o riso e o choro, resumido na expressão “rir para não

chorar”. Na política, entretanto o ridículo não tem nada de inocente. Ao contrário, ele impede a reflexão e o debate e já se transformou em instrumento de muitos políticos. Sua hipótese é que diante da espetacularização da política, muitos políticos se tornaram publicitários de si mesmo. Nessa lógica o que vale é aparecer.

Na sociedade do espetáculo a imagem é o grande capital. As pessoas falam merda, falam bobagens e têm uma despreocupação com a verdade. Ninguém está mais preocupado com a verdade. O cínico é aquele que fala a verdade, fala a mentira e tanto faz. Como cidadãos devemos ficar cada vez mais tapados para aguentar esse tipo de políticos no poder. Precisamos nos preocupar mais com a política, se

queremos melhorar o país. Levar o país mais a sério, com mais reflexão e diálogo.

Ed. Record

ANIVERSÁRIOS DE JULHO E AGOSTO (Nossos cumprimentos)

03\07 Paulo Cezar Pinto RJ 03\07 Luis Carlos R Soares RJ

03\07 José Barleto SP

05\07 Eglantina Moragiannis RJ

05\07 Maria Valderez RJ

07\07 João Alexim RJ

10\07 Maximiano T da Silva RJ

14\07 Eliane O Schwieger RJ

16\07 José Azevedo RJ

23\07 America Diniz RJ

01\08 Heitor Gurgulino BSB

08\08 Moira Hoyos BSB

12\08 Marianne Schwandl RJ

15\08 Wilson Sampaio RJ

15\08 Milton N da Slva MG

18\08 Vanderlei de Marque SP

28\08 João Nascimento RJ

Idade para aposentadoria em países ricos deve subir a 70 anos

A idade mínima para a aposentadoria em países ricos deveria subir para 70 anos até 2050, de acordo com um relatório divulgado pelo Fórum Econômico Mundial.

Segundo a organização, as pessoas devem trabalhar até pelo menos 70 anos de idade em países desenvolvidos como Reino Unido, Estados Unidos, Japão e Canadá.

Para embasar sua recomendação, o grupo que realiza o encontro anual das principais economias do planeta cita os crescentes gastos públicos com a aposentadoria, uma vez que, nesses países, a expectativa de vida da população deve continuar avançando até chegar aos 100 anos de idade.

De acordo com o estudo do Fórum Econômico, o número de pessoas com mais de 65 anos no mundo vai mais do que triplicar, alcançando os 2,1 bilhões de pessoas em 2050. Até lá, afirma o relatório, a quantidade de trabalhadores por aposentado

vai cair pela metade, chegando a quatro profissionais em atividade para cada aposentado.

De acordo com o estudo "Vamos viver até 100 anos - Como podemos custear isso?", a dívida dos seis maiores sistemas de pensão do mundo (Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Japão, Austrália e Holanda) vai aumentar em mais de quatro vezes,

chegando a US$ 224 trilhões, até 2050.

O aumento da longevidade previsto e o envelhecimento das populações é o equivalente financeiro das mudanças climáticas - disse o diretor de sistemas de infraestrutura e finanças do Forum Econômico Mundial, Michael Drexler. Devemos lidar com isso agora ou aceitar que suas consequências adversas assombrarão as gerações futuras, colocando um peso impossível sobre nossos filhos e netos.

No Reino Unido, por exemplo, a idade para começar a receber a pensão do governo vai subir de 65 para 68 anos até 2046. Um relatório do Departamento de Trabalho e Pensões no país, divulgado no início deste ano, sugeriu que trabalhadores que hoje estão com menos de 30 anos de idade podem não receber pensão até completar seus 70 anos.

 

Expediente

 

Giovanni Quaglia / Presidente \ presidente.aafib@gmail.com; coeditor do Boletim

João Carlos Alexim / Vice-presidente \ jc.alexim@gmail.com; editor do Boletim

Antonio Celso Zangelmi / Vice-presidente \celsozangelmi2@gmail.com;

Maria America Diniz Reis / Tesoureira e diretora Núcleo RJ \ dinizreismaria@gmail.com;

Arabela Pereira Estrela Rota \ Secretária / arabelarota@uol.com.br;

Diretor Núcleo Brasília: Ralph Hakkert \ ralph_hakkert@hotmail.com

Diretor Núcleo São Paulo: Udo Bock udobock@uol.com.br;

Gerente do Site (aafib.net): Sumaya Garcia

Sede da AAFIB: Av. Marechal Floriano 196 Palácio Itamaraty: UNIC-Rio\ Centro\ Rio de Janeiro\ RJ \ CEP 20080-002.