BOLETIM AAFIB 102 - AGOSTO 2015

Associação dos Antigos Funcionários Internacionais do Brasil                                                                                         

( aafib.org.br )    Fundada em 1987       Afiliada à  FAFICS

 

ASSEMBLEIA GERAL DA AAFIB - CONVOCATÓRIA
A Assembleia Ordinária Anual está marcada para o dia 02 de setembro às dez horas da manhã no UNIC-Rio, Av. Marechal Floriano 196, Centro, Rio de Janeiro, RJ.            

Agenda: 1- Prestação de Contas da Diretoria;

2- Eleição para o Conselho Fiscal;          

3- Aprovação de Diretrizes Gerais;  

4- Outros Assuntos. Esperamos a presença de todos que tenham condições de comparecer, e manifestações por correio e internet, dos demais.  Caso não obtenha quórum na primeira convocação, se realizará meia hora depois com os associados presentes.    

                                               
ASSEMBLEIA EXTRAORDINÁRIA

Em seguida, meia hora depois, com qualquer quórum, se realizará uma Assembleia Extraordinária com o objetivo único de examinar e aprovar a Reforma dos Estatutos Sociais. Dada a relevância do momento da AAFIB se roga aos associados que compareçam ao evento e contribuam para dar à nossa associação maior realce e eficácia.

 

A Associação Que Queremos 

Neste último ano a Diretoria tem se dedicado a consolidar nossa Associação, buscando uma configuração que responda melhor à natureza do país em que vivemos, com sua extensão territorial e a dispersão dos agrupamentos humanos. Igualmente leva em conta a diversidade de situações que enfrentam os colegas aposentados em função do histórico construído no Sistema. Reunimos associados com enormes diferenças em relação ao próprio Fundo de Pensões. Alguns tiveram muitos anos de trabalho e se retiraram com pensões completas, outros uma passagem curta em algum projeto ou programa de qualquer agência especializada, e suas pensões são mais modestas.  Um bom número dispõe de fontes nacionais de trabalho e aposentadoria. Muitos são estrangeiros que escolheram viver no país, por distintas razões, mas mantêm laços familiares no exterior. Essas e outras circunstâncias conformam diferentes expectativas em relação à AAFIB, e temos de oferecer respostas para o conjunto dos associados, tornando gostoso o desafio de satisfazer às diferentes perspectivas.
Em contrapartida, temos a certeza de reunir uma coletividade com elevado sentimento comum de solidariedade, aglutinando o espírito público de funcionários internacionais que trabalharam para o bem-estar coletivo com dedicação e efetividade.
Felizmente podemos contar com a revolução da informática e das telecomunicações, criamos o Site e melhoramos o Boletim, falta conseguir que esses instrumentos estejam realmente integrados à vida cotidiana dos associados. A Assembleia será a oportunidade para debatermos esse novo perfil e os resultados já logrados na conquista de nossos objetivos institucionais.

 

44º. CONSELHO DA FAFICS EM GENEBRA

O 44o. Conselho da FAFICS se reuniu em Genebra nos dias 27 a 29 de Julho e estiveram presentes 26 AFICS, sendo quatro da América Latina (Argentina, Brasil, Chile e Colômbia).                                                                                                             
Relatório de René Vossenaar, representante da AAFIB no evento:                                                                                                      
Os temas principais, como de hábito, foram as Pensões e o futuro do Seguro de Saúde Pós-Serviço (ASHI).                                                                                                            

Outras questões foram:                                                                                                        

O Fundo de Emergência; A situação dos antigos participantes do Fundo de Pensões da ex-URSS, da Ucrânia e da Bielorrússia; Estratégia para criação de novas associações; Proposta de publicação das memórias dos antigos funcionários; Difusão de informação incluindo o website da FAFICS.                        

 

Em seu discurso de abertura, a Presidente da FAFICS, Linda Saputelli, afirmou que "por causa do elaborado sistema de freios e contrapesos, nunca houve qualquer risco para a segurança das pensões ou a segurança dos ativos do Fundo".  A mensagem foi no sentido de assegurar que o  Fundo de Pensão é saudável. Por sua vez, foram expressas algumas preocupações sobre o futuro do seguro de saúde pós-serviço (ASHI), exigindo atenção dos aposentados, bem como do pessoal ativo.
Sobre os recentes desentendimentos em relação ao Memorando de Entendimento (MoU), entre o Escritório de Gestão de Recursos Humanos (OHRM) e o Fundo de Pensão, a presidente Linda Saputelli esclareceu que o MoU é uma ferramenta administrativa de RH e como tal não tem nenhuma capacidade para produzir mudanças estruturais no Fundo de Pensões.
A Representante do SG para Investimentos (RSG), Carol Boykin, descreveu a estratégia de investimento como "relativamente conservadora". Ela disse que a meta de retorno de 3,5% é menor que a de outros planos de pensão e que o Fundo, portanto, não precisa correr o mesmo risco como alguns outros planos de previdência.  Os critérios da estratégia de investimento continuam sendo: segurança, rentabilidade, liquidez e convertibilidade.
Sergio Arvizú, CEO do Fundo, enfatizou que o Fundo está em bom estado, com forte capitalização de 91%. O objetivo de uma taxa anualizada de 3,5% de retorno foi alcançado consistentemente ao longo do tempo, embora isso pode não ser alcançado cada ano.  Por exemplo, o retorno nominal no ano mais recente foi 3,2%, ou 2,4% se ajustado pela inflação (0,8%).
De particular importância para FAFICS é a HLCM (Comissão de alto nível de gerenciamento) grupo de trabalho sobre ASHI. Em debate uma proposta pelo Comitê sobre questões administrativas e orçamentárias (ACABQ) para unificar planos de saúde ASHI sob um único plano, gerido pelo Fundo de Pensão.  Considerando que o grupo de trabalho já concluiu que a plataforma de pensão não seria o administrador apropriado um único plano ou outro acordo se for aprovado, a proposta de uma abordagem sistémica UN ASHI ainda está viva.
Sobre os Seguros de Saúde, a rede FB (finanças e orçamento) definiu um grupo de trabalho para analisar as opções de financiamento atuais da Organização para os passivos do ASHI e propor princípios comuns para os regimes de financiamento. Seus termos de referência (ToR) foram expandidos mais tarde "para estudar todo o sistema de oportunidades para melhorar a eficiência e eficácia da gestão de ASHI, a partir do crescente passivo".

Relatório completo no website da AAFIB (aafib.net)

 

O UNCT

As Nações Unidas têm representação fixa no Brasil desde 1947. A presença da ONU em cada país varia de acordo com as demandas apresentadas pelos respectivos governos ante a Organização. No Brasil, o Sistema das Nações Unidas está representado por agências especializadas, fundos e programas que desenvolvem suas atividades em função de seus mandatos específicos. A Equipe de País (conhecida por sua sigla em inglês, UNCT) está conformada pelos Representantes desses organismos, sob a liderança do Coordenador Residente.    Seu principal objetivo é maximizar, de maneira coordenada, o trabalho da ONU, para que o Sistema possa proporcionar uma resposta coletiva, coerente e integrada às prioridades e necessidades nacionais, no marco dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio e dos demais compromissos internacionais. O UNCT é presidido pelo Coordenador Residente (Jorge Chediek, na foto) posto normalmente ocupado pelo Representante Residente do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), e tem, entre suas principais funções, a missão de definir estratégias, coordenar o trabalho da Equipe e compartilhar informações entre todos seus participantes. A elaboração de iniciativas conjuntas entre os diversos escritórios, avaliar o trabalho da ONU no País e coordenar a ação dos diversos grupos interagências, fazem também parte de sua missão.


O UNIC-RIO

“As Nações Unidas não podem alcançar seus objetivos se os povos do mundo não estão bem informados sobre seus propósitos e atividades”. (Assembleia Geral da ONU, 1946)
Em 13 de fevereiro de 1946, a Assembleia Geral da ONU decidiu que fossem estabelecidos escritórios para que os povos de todo o mundo conhecessem, o mais detalhadamente possível, as atividades das Nações Unidas. Para isso, foram criados os Centros de Informação das Nações Unidas (United Nations Information Centres, ou, na sigla em inglês, UNICs) que estão presentes hoje em mais de 60 países, em todo o planeta.
O Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) se estabeleceu no Rio de Janeiro em 1947, sendo o primeiro escritório desse tipo criado pela ONU na América Latina. Sua missão é informar a população brasileira sobre os grandes temas da ONU, seus objetivos, seu trabalho e propostas.
O Centro de Informação da ONU para o Brasil trabalha em conjunto com variados setores da sociedade como governo, universidades e escolas, empresários, sociedade civil organizada, comunidade diplomática, organizações internacionais, grupos religiosos, a família das Nações Unidas e o público em geral. Coopera estreitamente com Organizações Não Governamentais e com diversas entidades da sociedade civil dedicadas à divulgação e ensino dos temas das Nações Unidas.  O UNIC Rio fornece informação e assessoria e colabora na organização de eventos de informação e sensibilização. Giancarlo Summa é o seu atual diretor (foto).

 

NOVO AAFIB WEBSITE  (aafib.net)                                                                                     
Convocamos todos nossos associados para frequentar mais assiduamente nosso website e comentar os Boletins recebidos. Só assim poderemos desenvolver e aproveitar melhor esses instrumentos de comunicação interna e externa.

 

REUNIÃO DA AAFIB\BRASÍLIA  (05\08\2015)
PALESTRA DO COORDENADOR RESIDENTE DA ONU                                                                                               
A diretora do Núcleo da AAFIB\Brasília, Júnia Puglia, abriu a reunião do último dia 5 de agosto cumprimentando os presentes e anunciando a apresentação do Coordenador Residente, Jorge Chediek, convidado especial do evento.                              

Em sua palestra, ele comentou que existe uma cultura institucional adversa em relação aos aposentados, mas no seu 
mandato tem feito o que pode para integrá-los à Casa da ONU, embora também reconheça que ainda há muito que fazer para atender os aposentados e aproveitar sua experiência. São suas palavras: “temos uma dívida de honra com vocês”. Em seguida, passou a tecer alguns comentários sobre o Sistema ONU: No 70° aniversário da ONU será realizada uma mostra fotográfica, com o apoio do Itamaraty. Estimulou a colaboração de quem tiver fotos antigas que documentem atividades relativas ao desenvolvimento. Em 2016 será o 60° aniversário do PNUD, quando vão lançar uma mostra fotográfica institucional e ainda um projeto de palestras temáticas. Solicitou a contribuição da AAFIB para essas atividades.                                                                           Passou a fazer algumas considerações específicas: Para a ONU, 2015 é um ano crucial em nível global. Acaba de ser aprovada pela Assembleia Geral uma declaração ambiciosa e abrangente que adota os ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável) e as medidas a serem implementadas no Pós 2015.  O seu grande desafio é como organizar e trabalhar todos os ODS e suas metas, no âmbito do Sistema, considerando que nos últimos 20 anos as principais atividades foram realizadas por organismos fora da ONU. No Brasil tem feito muito, porque tem uma parceria eficiente com o governo e há uma boa coordenação interagências.   Uma grande crítica ao Sistema é a duplicação de trabalho e os respectivos custos. Num esforço para modernizar os serviços, a partir de 01/09/2015 o JOF – Joint Operations Facility -- inicia suas operações com oito agências, em três áreas comuns: viagens, compras e TI, com a ideia de estender o programa em etapas futuras, de modo a potencializar energias. A lógica é mostrar que os escritórios são eficientes, além de ser importantes para os países. É um trabalho revolucionário e o começo da reforma necessária para a modernização do Sistema. Com esta nova agenda, a ONU tem que mostrar que pode adaptar-se para recuperar um protagonismo político e que é capaz de melhorar o seu sistema operacional. Sem mudar a essência das suas contribuições, a ONU tem que mostrar que é capaz de aportar agilidade e eficiência aos seus serviços.    Reiterou finalmente que a ONU tem uma Casa no Brasil, que também é nossa casa.

 

WORKSHOP DE INICIAÇÃO À APOSENTADORIA  
Na segunda parte da reunião do Núcleo, Júnia Puglia abriu a discussão sobre a preparação do workshop para os futuros aposentados, recém-aposentados e viúvos/as: existe um Grupo Interagências de RH, cuja coordenadora sobre seguros de saúde é Patrícia Lim, da OPAS. No dia anterior Patrícia recebeu em 
reunião a Júnia Puglia, Maria Dulce, Maria Helena Diogo e Renata Ritter, titular de RH da UNESCO, para examinar o workshop. O grupo propôs que as agências se apropriem desse evento e os aposentados entrem com o conhecimento técnico. A ideia foi bem aceita e será apresentada ao Grupo Interagências de RH, que vai se reunir no dia 12/8. 
Como dever de casa, a AAFIB terá de fazer a sua parte: a) atualizar o site com matéria do evento; b) ter disponíveis todos os documentos necessários, antes do início do workshop; Em resumo, ter tudo preparado para apresentar o site no workshop, com tudo o que possa oferecer aos interessados; Este novo enfoque do workshop reposiciona o papel da AAFIB em relação ao mesmo, pois a coloca como provedora de insumos técnicos, em interação com os escritórios e estes com a Organização.                                                                                                                                     
Maiores informações no Website da AAFIB (aafib.net)

 

AGENDA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
Consenso alcançado sobre a nova agenda de desenvolvimento sustentável será adotado pelos líderes mundiais em setembro, durante encontro em Nova York. Nova agenda define 17 objetivos e 169 metas para acabar com a pobreza até 2030 e promover universalmente a prosperidade econômica, o desenvolvimento social e a proteção ambiental.
 Os 193 Estados-membros da ONU chegaram a um acordo sobre o rascunho do documento final que constituirá a nova agenda de desenvolvimento sustentável, que será formalmente adotada pelos líderes mundiais em Nova York durante a Cúpula de Desenvolvimento Sustentável entre 25 e 27 de setembro, para erradicar a extrema pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar das pessoas, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente.
Ban Ki-moon afirmou que o Sistema ONU se mantém pronto para apoiar a implementação da nova agenda, que se somam aos resultados exitosos da Terceira Conferência Internacional sobre Financiamento para o Desenvolvimento, de Adis Abeba, e que – acrescentou – irá contribuir para alcançar um acordo significativo na 21ª Conferência das Partes da ONU para a Mudança Climática (COP21) em Paris em dezembro.                                                                                                                                 Foi acordado que os novos objetivos deverão ser de natureza global, aplicáveis a todos os países, tendo em conta as diferentes realidades, capacidades e níveis de desenvolvimento, 
e respeitando as políticas e prioridades nacionais.  O documento final destaca a erradicação da pobreza como o objetivo primordial da nova agenda de desenvolvimento e busca em sua essência a integração das três dimensões do desenvolvimento sustentável – econômica, social e ambiental. A nova agenda de desenvolvimento pede uma ação por todos os países, pobres, ricos e de renda média. Os Estados-membros se comprometem a não deixar ninguém para trás. Os “cinco Ps” – pessoas, planeta, prosperidade, paz e parceria – mostram um pouco acerca do amplo alcance da agenda.

 

PROGRAMAÇÃO DA AAFIB  (esteja atento e prestigie)
1-- Concurso de Fotografia: Inscreva-se e concorra. Prazo de entrega de fotos prorrogado até 28 de agosto. (veja regulamento no website da AAFIB ou solicite informações pelo e-mail jcalexim@terra.com.br)
2-- Workshop de Iniciação à Aposentadoria (em outubro em Brasília, juntando-se aos festejos dos 70 anos da ONU)
3-- Assembleia Anual (em setembro, com o tema principal de reforma dos Estatutos)
4-- Minha Experiência Mais Marcante: Nesta edição o Boletim dá inicio à publicação de uma série memorialista com textos dos colegas associados contando sua “experiência mais marcante” do trabalho nas Nações Unidas, e na própria vida.                            

 

O colega Jean Dubois nos oferece o primeiro relato dessa série (ver abaixo).                                                                                              

 

Enviem suas narrativas pessoais, prestigiem mais essa iniciativa de sua AAFIB.      Textos em torno de uma página, para jcalexim@terra.com.br. 

 

ANIVERSARIANTES DE AGOSTO  (Nossas Felicitações)

12\08    Marianne  Schwandl   (PNUD) RJ
15\08    Wilton Sampaio  (OMS\OPAS)  RJ
18\08    Vanderley  Marque (UNICEF)  SP
28\08    João Nascimento   (OMS\OPAS) RJ

 

Momentos Marcantes de Jean Dubois na Floresta Amazônica pela FAO
Depois de onze anos na Àfrica, cheguei na Amazônia em julho de 1962, a serviço da FAO. Pouco depois de desembarcar em Santarém onde tinha sido criado o CTM (Centro de Tecnologia da Madeira) pela SPVEA (Superintendência do Plano de Valorização Económica da Amazônia) com apoio técnico e financeiro da FAO, iniciei um longo período de trabalho na Estação Experimental de Silvicultura de Curuá-Una onde se desenvolviam as primeiras experimentações de manejo sustentável de florestas amazônicas. De modo geral, eu passava três semanas em Curuá-Una e uma semana no CTM em Santarém, onde tinha a casa na confluência do rio Tapajós com a Amazonas.                         

Nas florestas da Amazônia oriental e central, cedo de manhã ou à noite, podíamos escutar os longos bate-papos e debates dos guaribas (macacos sociais das espécies Alouettia belzebul e A. seniculus). Estes macacos herbívoros e frugívoros emitem uma gama pouco diversificada  de sons, mas estes podem ser ouvidos  a longa distância, até 5 quilômetros! Eles colocam sentinelas ao redor das suas "salas de reunião” situadas na ramagem superior das árvores dominantes da floresta. Por esta razão é difícil observar estes macacos. Um dia, consegui me aproximar de um guariba-sentinela: o macaco, com uma precisão de bom artilheiro, me lançou no ápice do crânio um jato forte de urina, o que realmente me desencorajou.
A raça humana não é descendente dos guaribas! Tudo parece indicar que nós (Homo sapiens sapiens) descendemos dos chimpanzés africanos. Logo decretamos que de todos os primatas, os chimpanzés são os mais inteligentes. Assim mesmo, não deixamos de cometer erros e besteiras. Imagine então os níveis de qualidade de vida de nossas sociedades, se tivéssemos tido como antepassado um primata menos inteligente!

Durante um tempo eu passava dois ou três meses, a cada dois anos, lecionando silvicultura e manejo florestal tropical  na UFPA (Universidade Federal do Paraná). Com Clara Pandolfo articulou um convênio possibilitando a formação de engenheiros florestais oriundos da Amazônia, com bolsas financiadas pela SUDAM. Os estudantes, uma vez formados, voltaram para a Amazônia onde  amplificaram e diversificaram os programas das pesquisas e experimentos de manejo florestal 
na Estação de Curuá e na Floresta Nacional do Tapajós, que ajudei a criar. 


EXPEDIENTE                                                                                                                                         

Presidente: João Carlos Alexim       (e editor do Boletim)                                                                                  

Vice-presidente: Giovanni Quaglia     
Tesoureira: Maria America Diniz Reis    

Secretária Executiva: Evelyn Rocha                                                                                                                                                                                                                                                                        
Diretora Núcleo Brasília: Júnia Puglia    

Diretor Núcleo São Paulo: Udo Bock                                                                                                

Diretor Núcleo Baixada Fluminense\CPFA: Ilacir de Carvalho                                                                                                                                                                                                                                   
Diretor para Área de Saúde: Cesar Vieira 
Endereço: Centro de Informação da ONU \UNIC  Palácio Itamaraty                                                                           

Av. Marechal Floriano, 196 – CEP: 20080-002 – Rio de Janeiro   


Edição completa em nosso site (aafib.net)

Gerente do site: Sumaya Garcia